Veja aqui todos os detalhes sobre o Recall do Toyota Corolla.

Quem é proprietário de um veículo do modelo Corolla deve estar atento, pois a Toyota acaba de anunciar um recall duplo no modelo. Segundo a marca, o modelo Corolla terá que passar por dois reparos. Os proprietários de veículos envolvidos devem fazer o agendamento por meio de um telefone e os reparos terão início no dia 16 do mês de abril.

Infelizmente essa não é a primeira vez que a Toyota anuncia um recall para o modelo Corolla. Aliás, desde o ano de 2013 mais de seis convocações foram realizadas para o modelo. Esse ano é a primeira vez que acontece.

O primeiro recall do Corolla está associado a um problema no airbag do passageiro, sendo que este problema já se repetiu em outros recalls do modelo.

O recall foi anunciado nesta terça-feira, dia 03 do mês de abril, e o defeito mais grave, de acordo com a fabricante, está nos denominados “airbags mortais”. O outro defeito está localizado no câmbio CVT.

Quem possui carros com os chassis descritos abaixo deve fazer o agendamento do reparo por meio de um telefone disponibilizado pela fabricante. São quase 120 mil unidades a serem vistoriadas, um número considerável alto.

“Em relação ao problema dos airbags mortais”. O defeito na realidade está no acessório do passageiro do veículo. Assim, em caso de algum acidente ou colisão em que o acessório precisar ser acionado, este, por apresentar um defeito na carcaça de seu insuflador, pode chegar a romper e assim projetar objetos cortantes e metálicos nos ocupantes do veículo, levando a danos graves físicos e até mesmo fatais.

No Brasil não foi registrado nenhum acidente em decorrência deste problema. Porém, no exterior a situação é outra, pois já foram registradas 22 mortes relacionadas a esse problema no airbag.

Dessa forma, aos proprietários de veículos envolvidos no recall, é indispensável a apresentação do veículo a uma concessionária autorizada da marca Toyota. Serão 53.635 veículos a terem o airbag do passageiro substituído. Todos os veículos são do modelo Corolla fabricados no ano de 2013.

Já o segundo recall do Corolla está relacionado ao câmbio CVT. Trata-se na realidade de um defeito presente no controle eletrônico do câmbio CVT, que está na Unidade de Controle Eletrônico que tem a finalidade de controlar a transmissão. Desse modo, o defeito leva ao aparecimento no painel de instrumentos de uma luz de advertência, que ao ser acesa pelo sistema leva imediatamente a limitação da velocidade do veículo em até 60 km por hora. Embora esse problema não seja tão grave ele também pode colocar em risco a integridade física e avida de seus ocupantes, como por exemplo em uma rodovia com um elevado tráfego de veículos a uma velocidade superior a 60 km por hora, ao ter a sua velocidade diminuída, p veículo pode ocasionar colisões. De acordo com a fabricante, serão 65.963 unidades do Corolla modelo GLi 1.8 a passar pelo reparo.

No total, serão 119.598 unidades do Corolla a serem reparadas. Para isso, basta telefonar para o número 0800-7030206 e fazer o agendamento. A marca não informou quanto tempo irá durar cada reparo, mas quando o proprietário ligar para agendar ele receberá todas as informações necessárias sobre o recall.

Não existe tempo determinado para a realização dos reparos. Ou seja, enquanto as 119.598 unidades não forem reparadas o recall será mantido. Porém, a recomendação principal é de que os proprietários de veículos Corolla cuja fabricação se deu entre os anos de 2013 e 2017 procurem apresentar seus veículos o mais rápido possível, uma vez que um dos defeitos que o carro pode conter é bem sério, podendo colocar em risco a vida de seus ocupantes.

Ligue para o SAC informado acima e saiba de todas as informações sobre o Recall Toyota Corolla 2018.

Sirlene Montes


Recall se deve a problemas no freio do veículo.

De início, antes de saber o motivo do recall, devemos saber o que é isso na verdade, recall é quando veículos de alguma montadora, após estudos feitos pela mesma, apresentam alguma coisa que não está de acordo com o padrão previsto para sua circulação em vias públicas, ou seja, coisas que podem prejudicar o motorista e os passageiros que estão na condução. A não reparação desses problemas terão total retorno a empresa em qualquer acidente causado, ou seja, a responsabilidade será totalmente da montadora.

Na última quinta feira, dia 28/03/2018, os modelos HB20 e HB20S foram convocados para este recall, devido a problemas apresentados nos freios, onde é causada uma falha. Os modelos são os 1.0 Turbo com transmissão de seis marchas, que tiveram data de fabricação entre 28 de janeiro de 2016 e 5 de fevereiro de 2018, após análises entre esses dois anos foi confirmada a “anomalia”.

A informação cedida pela empresa é que o problema se encontra especificamente na válvula de controle de vácuo do servo freio. E explica que os portadores dos modelos que comparecerem terão o veículo inspecionado e pode haver ou não danos no local, porém, para as duas possibilidades a Hyundai tem uma solução, caso não houver, apenas será aplicado um isolador térmico no local da peça, caso sim, houver dano, a medida será a substituição da peça por uma nova que nela já estará contido o isolador térmico.

A justificativa da montadora para a resolução deste defeito é que esta válvula por estar localizada em um local onde se encontra perto do conversor catalítico, pode estar sujeita a algum tipo de ressecamento dela mesmo. O que isso poderá causar de problema é, o motorista com o carro já portador deste defeito ouvir alguns ruídos que se assemelham a assovios no motor, ou seja, barulhos agudos vindos de lá. Outra coisa que poderá ser notada é a oscilação da marcha lenta do veículo.

A conseqüência deste ressecamento poderá ser também, assim como informado pela empresa, um problema de redução de vácuo na frenagem, pode parecer simples, mas isso poderá afetar de maneira que com essa redução, o esforço exigido ao motorista para a frenagem do carro seja maior, esse nem é o problema maior, porque apesar da exigência de força, o veículo terá sua frenagem normal, mas a maior preocupação é que ao frear, algum acidente possa ser causado devido ao problema, coisa que afetaria tanto no dano material, quanto no dano físico, e a responsabilidade por esses dois danos como já citado será exatamente da empresa. E está ligado também ao passageiro, que por erro de fabricação poderá correr esse risco, o que resumidamente, afetará dos dois lados.

Os chassis convocados com final de 6 dígitos são: 561697 a 870541.

Qual a importância de um recall ?

O recall interessa não somente a empresa, mesmo que você não necessite de um recall, é importante que entenda por que é tão importante e tão requisitado pela montadora. Bom, os interesses de quem é portador de um veículo com necessidade de recall é justamente a procura por segurança, pois ninguém gostaria de andar com um carro que não pode ser considerado seguro nem pela própria empresa, e não quer arriscar seus bens materiais, muito menos sua vida no trânsito. Já o interesse da empresa, também preocupando-se com seus compradores, é a segurança, pois sua segurança refletirá também em mais vendas, mas ela tem um interesse diferente do comprador, como em uma investigação de acidentes, caso for constatado que foi por falha na produção do veículo, quem deverá se responsabilizar é a montadora, independente da marca, e essas ações em uma grande escala poderá afetar muito a economia empresarial, então é melhor a prevenção por parte dela.

Gustavo Martins dos Santos


O recall mundial anunciado pela Toyota recentemente, para o seu famoso automóvel híbrido, o Prius, envolvendo 1,9 milhão de unidades do carro que combina o motor a combustão, movido a gasolina, com um propulsor elétrico, fabricado entre os anos de 2009 e 2014, também será realizado no Brasil.

O chamado da montadora japonesa deve-se a um problema detectado no sistema híbrido do carro, que pode provocar a paralisação do veículo, na pior das hipóteses, enquanto ele estiver sendo dirigido. Segundo a Toyota, a origem da falha está no programa do módulo de controle do inversor do sistema híbrido.

Ainda de acordo com a nota oficial da marca asiática, divulgada em seu site oficial, quando o software é bastante exigido, ele pode superaquecer, ser reinicializado e fazer com que o Prius entre no modo de segurança, diminuindo a potência disponível e a velocidade do veículo, aumentando os riscos de acidentes, dependendo do local em que o automóvel estiver circulando. Apesar disso, a Toyota afirma que nenhum acidente causado pela falha foi registrado até o momento.

O recall do Toyota Prius no Brasil envolve os híbridos fabricados entre os dias 16 de julho de 2012 e 14 de junho de 2013, modelos ZVW30L-AHXEBW, código alfanumérico JTDKN36U** e últimos sete dígitos do chassi de 1579250 a 1698866.

Os proprietários desses modelos devem levá-los à concessionária Toyota mais próxima para que seja feito o reparo no componente afetado. A reprogramação do módulo do inversor do sistema híbrido do carro, que elimina o defeito citado, é totalmente gratuita, mas precisa ser agendada com antecedência.

Outros detalhes sobre o reparo podem ser encontrados no site www.toyota.com.br e também através do Serviço de Assistência ao Cliente Toyota, que funciona no telefone 0800-703-0206 (ligação gratuita) e atende de segundas a sextas-feiras, entre as 8h e as 17h. Nesses canais de contato é possível verificar o endereço da rede autorizada da marca em todo o Brasil.

Recall Toyota Prius


Após detectar a possibilidade de falha no rolamento do cubo das rodas traseiras de algumas unidades dos veículos Agile e Classic, modelos 2014, a General Motors do Brasil resolveu convocar os proprietários desses carros para levá-los a uma inspeção, com a finalidade de verificar se eles apresentam tal problema.

O recall convocado pela montadora envolve os automóveis Chevrolet Classic 2014, fabricados entre os dias 11 de outubro e 11 de novembro de 2013, e Chevrolet Agile 2014, fabricados entre 11 de outubro e 20 de novembro de 2013, sendo 2.920 unidades do primeiro e 2.405 unidades do segundo, em um total de 5.325 carros que devem passar pela verificação.

De acordo com a GM do Brasil, o motivo para a possibilidade de surgimento da falha seria o excesso de torque aplicado durante o aperto da porca do cubo das rodas de trás, algo que pode gerar o superaquecimento do rolamento. Assim, há o risco de travamento ou até mesmo de soltura da roda traseira, o que pode resultar na perda de controle do veículo e em risco de colisão e/ou capotamento, causando lesões graves ou mesmo fatais nos ocupantes e em terceiros.

Para acabar com quaisquer riscos, a Chevrolet quer avaliar os veículos e substituir o rolamento do cubo das rodas traseiras, aplicando de maneira correta o torque necessário na porca de fixação do componente, lembrando que os veículos afetados possuem as seguintes numerações de chassi (últimos oito dígitos):

– Chevrolet Classic 2014: de ER142768 a ER154752;

– Chevrolet Agile 2014: de ER140857 a ER156901.

Os proprietários dos veículos envolvidos no chamado podem agendar o serviço, que é gratuito e dura em torno de uma hora, em qualquer concessionária da marca.

Mais informações podem ser obtidas no telefone 0800-702-4200 e também no site oficial da Chevrolet, onde há uma ferramenta que permite checar, por meio do número do chassi, se o seu veículo deve ser verificado.

Chevrolet Classic 2014


A Toyota grande montadora japonesa de veículos acaba de anunciar que irá realizar um recall em mais de 1,53 milhão de automóveis, sendo de quase 600 mil somente no Japão. Tudo isso devido a um defeito que foi descoberto no depósito de combustível e nos freios de alguns veículos.

Um funcionário da empresa que tornou público e anunciou o recall disse que nenhum acidente decorrente dos problemas anunciados foram detectados pela montadora, mas antes que algum possa vir a acontecer os donos dos automóveis Toyota dos modelos Crown Majesta, Toyota Mark X (Reiz na China), Higlander, Alphard, Lexus RX (Harrier), Avalon, Lexus GS350, Lexus IS250 e Lexus IS350 estão sendo esperados em uma das lojas da marca para realização do recall.

Por Ana Carolina





CONTINUE NAVEGANDO: