O New QQ será vendido com desconto de R$ 2.000. O Tiggo terá um bônus de R$ 4.600. E o Celer terá o incentivo de financiamento em até 24 parcelas fixas, com taxa zero de juros.

As marcas chinesas de veículos automotores presentes aqui no Brasil estão utilizando estratégias de marketing cada vez mais agressivas e inovadoras, a fim de conseguir atrair a atenção do consumidor brasileiro. Estas estratégias encontram justificativa no sucesso que as marcas premium estão tendo aqui no país com a quebras de recorde atrás de recorde, fator este que além de preocupar as empresas chinesas, as deixam com um mercado bastante restrito e com poucas vendas.

E foi nessa perspectiva que a fabricante de veículos chinesa Chery traz uma nova estratégia de vendas que terá validade até o dia 30 de julho do ano de 2015, estratégia esta que irá atender os seguintes modelos da empresa: Celer nacional, New QQ e Tiggo.

O New QQ, veículo compacto que chegou ao país recentemente com cara nova, será comercializado com um bônus especial de lançamento de R$ 2.000, sendo que o seu valor inicial partirá de R$ 29.000.

Já os consumidores que gostam da categoria dos SUV, a empresa irá disponibilizar o Tiggo com descontos ainda maiores. Este veículo será comercializado com um bônus de R$ 4.600 e câmbio automático gratuito. O valor inicial de comercialização deste veículo será de R$ 59.900.

E, por fim, o Celer, veículo que passou por um remodelamento e que tem fabricação feita aqui no país nas suas versões hatch e sedan, não será oferecido com bônus, contudo a Chery irá oferecê-lo ao com consumidor brasileiro com o incentivo de poder financiá-lo em 24 parcelas fixas, as quais serão com taxa zero de juros. Outro incentivo bastante considerável é o de que tanto o Celer quanto o QQ irão sair de fábrica com garantia de 3 anos, enquanto que os consumidores que adquirirem o Tiggo terão garantia de 5 anos.

Então, diante dessas facilidades e oportunidades oferecidas pela Chery vale a pena conferir os veículos nas concessionárias e avaliar se o custo-benefício será vantajoso.

Por Adriano Oliveira

Chery Celer

Novo Chery Tiggo

Chery New QQ

Fotos: Divulgação


Com a produção encerrada no final de dezembro de 2013 modelos como o Volkswagen Gol G4 (geração antiga), Fiat Mille, Ford Ka, Kombi e Golf (geração antiga) ainda podem ser encontrados em algumas concessionárias. Como resultado do “fora de linha” o preço sofreu uma queda relativa. Alguns dos descontos praticados pelas lojas podem chegar ao valor de R$ 4.000.

As últimas unidades do Mille foram produzidas na unidade da Fiat em Betim, Minas Gerais, no mês de dezembro. Como até então não atendia as novas normas estabelecidas para o mercado que exige a obrigatoriedade de freios ABS e airbags, o modelo deixou de ser fabricado depois de trinta anos no mercado. Na maior parte das concessionárias que ainda tem o modelo no estoque é possível encontrar sua versão de despedida, a Grazie Mille (mais cara). Apesar de muitas lojas informarem que iriam cobrar o valor de R$ 31.200, que é o preço de tabela, em diversos Estados havia concessionárias já dando desconto como, por exemplo, em Brasília, Manaus e São Paulo.

Com relação ao Ford Ka, em algumas das concessionárias que ainda contavam com o modelo que saiu de produção os descontos estavam geralmente para as unidades mais completas. Em São Paulo  ainda era possível encontrar com o Ka com todos os opcionais pelo valor de R$ 27.000 e já com a pintura metálica. A título de curiosidade esse valor está cerca de R$ 1.900 abaixo da tabela.

Já o Gol G4 que também não atendia as novas normas de segurança além de sair de produção teve sua “aposentadoria” impulsionada devido ao lançamento de seu substituto, o Up! que deve chegar às revendedoras até o fim do mês.

No caso do Gol o menor desconto encontrado nas concessionárias que ainda dispunham do modelo foi de R$ 2.550 e o maior de R$ 3.060. De acordo com a tabela da Volkswagen o G4 custa R$ 26.050 de duas portas. Já o de 4 portas fica por R$ 28.130.

Muita gente tem encarado a redução de preço como uma boa oportunidade para adquirir um carro novo. Entretanto, o preço cobrado pela segurança maior também tem atraído muitos consumidores já que em muitos casos são tidos como “relativamente em conta”.

Volks Gol G4


O Peugeot Hoggar é vendido no Brasil desde maio de 2010, mas suas vendas nunca foram muito boas. Ele é uma picape derivada do Peugeot 207, com características já utilizadas pelas concorrentes, como grandes faróis, conceito Maxi-cab e Step-side.

Por ser a primeira picape compacta da Peugeot, não obteve o sucesso esperado. Quando lançada, as expectativas eram de ao menos 1.200 unidades mensais. Cerca de 10% do segmento de picapes. Mas não foi isso que aconteceu. Ao invés de 10% do segmento entre as picapes compactas, o Peugeot Hoggar obteve, no ano de 2011, apenas  2,26% de participação no mercado.

Então a última estratégia da Peugeot para aumentar as vendas é de diminuir o preço, dando um super desconto para as versões 1.4 X-Line, anunciada por R$ 31.400 e vendida por R$ 28.990, e 1.6 Escapade, anunciada por R$ 44.250 e à venda por apenas R$ 39.981. A estratégia também conta com o “Hoggar Pack” na tentativa de agradar o consumidor, que nada mais é do que um pacote personalizável exclusivo do comprador.

A aposta é que, com tempo e insistência, o Hoggar da Peugeot ganhe espaço no mercado de picapes compactas. Mas a estrada pode ser longa e difícil para a marca, já que suas concorrentes estão nessa batalha por colocação no mercado há algum tempo.

Por Ramon

Fonte: Car and Driver Brasil


Prestes a ser substituída pela nova geração, que deve chegar às revendedoras da Fiat no mês de novembro, a versão atual do Palio está sendo oferecida com descontos nos preços em algumas concessionárias da Grande São Paulo. O bônus, de acordo com o Jornal da Tarde, pode chegar a um valor superior a R$ 3.000.

O Palio Attractive 1.4 2011, adicionado de itens como acionamento elétrico para travas e vidros, ar condicionado e direção hidráulica, cujo preço sugerido pela montadora italiana é de R$ 38.897, está saindo a R$ 35.700 em uma das lojas pesquisadas. O modelo tem sob o capô o motor flex 8V, que entrega 86 cv de potência e 12,5 kgfm de torque, quando movido a álcool, acoplado ao câmbio manual de 5 velocidades. De série ele traz brake light, computador de bordo, para-choques na cor da carroceria e volante com regulagem de altura.

Já o Palio Essence 1.6 2011, com pintura metálica, está sendo vendido a partir de R$ 38.900. Nesta configuração está presente o propulsor bicombustível de 16 válvulas, capaz de gerar 117 cv de potência e 16,8 kgfm de torque (com etanol), associado à transmissão mecânica de 5 marchas. Ele sai de fábrica com rodas de aço aro 15, direção hidráulica, vidros elétricos, faróis de neblina, travas elétricas e spoiler na traseira.

Outro modelo oferecido com descontos é o Palio Fire Economy 1.0. Na versão de duas portas, o preço é de R$ 24.800, enquanto a versão de quatro portas sai a R$ 26.500.

Por André Gonçalves


Fim de linha para o Mitsubishi Pajero Sport no Brasil. Pelo menos é o que estão dizendo diversos sites especializados, e os representantes de algumas concessionárias da montadora japonesa no país. Além da descontinuação da fabricação do utilitário esportivo na fábrica localizada em Catalão (Goiás), há informações de que as últimas unidades do modelo ainda encontradas nas revendedoras estariam sendo negociadas com descontos superiores a R$ 3.000. Por outro lado, a Mitsubishi não confirma o fim do Pajero Sport.

O modelo é oferecido em duas versões. Uma delas é a Pajero Sport Flex, com motor V6, de 24 válvulas, com injeção eletrônica multiponto, que atinge 200 cv de potência, com gasolina, ou 205 cv, movida a álcool. Vendida pelo preço sugerido de R$ 101.990, ela vem com rodas de liga leve aro 17, tração integral com caixa de redução, câmbio automático de 4 marchas, duplo airbag frontal, freios ABS e ar condicionado digital, dentre outros itens.

Já a versão Pajero Sport Diesel tem preço sugerido de R$ 114.990. O motor é o turbo SOHC de 8 válvulas, com bomba de injeção rotativa eletrônica e 150 cv de potência. A lista de itens é basicamente a mesma que a versão Flex.

Por André Gonçalves





CONTINUE NAVEGANDO: