Versão Comfortline do Jetta será fabricada na unidade de São José dos Campos (SP) da montadora.

Finalmente, a Volkswagen do Brasil fez o anúncio oficial, no dia 6 de julho de 2015, a respeito da chegada, nas concessionárias de todo o país, do mais novo sedan médio da montadora que será fabricado no país, o Jetta. Esta versão nacionalizada do Jetta será fabricada na unidade de São José dos Campos (SP) da Volkswagen, no caso só uma das versões deste carrão será fabricada aqui no país que será a Comfortline, a qual será comercializada com valor inicial sugerido de R$ 74.730.

Para aqueles que gostaram dessa novidade, este veículo chegará às concessionárias de todo o país equipado com um propulsor de 2 litros MPI flex de 116/120 cavalos de potência e um torque de 17,7 Kgfm quando abastecido com gasolina e de 18,4 Kgfm quando abastecido com etanol, além disso, o câmbio será o automático Tiptronic modelo AQ250 de seis marchas.

Este veículo com estas configurações já estava sendo fabricado na unidade do ABC paulista da empresa desde o início do ano de 2015, porém somente agora começará a ser distribuído nas concessionárias da Volkswagen de todo o país. Este novo Jetta também será ofertado aos consumidores em duas outras versões, contudo estas serão importadas do México que serão as versões Trendline que é a versão mais básica deste veículo e terá preço sugerido a partir de R$ 70.690 e a versão Highline que é a topo de linha com todos os opcionais e será comercializado com valor a partir de R$ 94.930, esta versão chegará às concessionárias dotada de um propulsor 2.0 TSi turbo, com injeção de gasolina direta, este motor terá a capacidade de produzir uma potência total de 211 cavalos e um torque de 28,6 Kgfm, ela virá com um câmbio do modelo DSG com dupla embreagem e com seis marchas.

Esta nova geração do Jetta será mais uma aposta da Volkswagen, uma vez que segundo as estatísticas da Fenabrave o Jetta ocupa, no momento, apenas a quinta posição no seu segmento com o total de 4.498 veículos emplacados no primeiro semestre de 2015. O campeão de vendas e concorrente do Jetta é o Toyota Corolla que teve cerca de 32 mil unidades comercializadas no mesmo período mencionado acima.

Por Adriano Oliveira

Volkswagen Jetta no Brasil

Volkswagen Jetta no Brasil

Fotos: Divulgação


Confira os valores atualizados dos modelos que estão à venda no Brasil

O mês de abril já começou com novidades boas para quem gosta da qualidade e da potência dos carros Porsche. A montadora fundada na Áustria em 1931 e hoje sediada na Alemanha é famosa em todo o mundo por seus veículos esportivos e luxuosos. Aqui no Brasil, vem ganhando consumidores cada vez mais fiéis e apaixonados pelo design, arrojo e singularidade dos modelos da marca.

Para o nosso mercado, a Porsche acabou de divulgar a nova lista de preços dos modelos comercializados no país, 28 no total. Um dos lançamentos mais esperados do momento, o Cayenne GTS, estreia nas concessionárias tupiniquins por nada mais nada menos que R$ 579 mil.

Se você é fã da montadora e pretende comprar a sua unidade, os valores seguem o padrão dos carros de luxo e vão desde R$ 299 mil até impressionantes R$ 1,299 milhão.

Fique por dentro do que a Porsche preparou para os brasileiros, confira abaixo, do menor para o maior valor, a lista completa dos preços atualizados:

  • Macan – R$ 299.000;
  • Cayman – R$ 359.000;
  • Boxster – R$ 359.000;
  • Cayenne – R$ 389.000;
  • Boxster S – R$ 429.000;
  • Macan S – R$ 429.000,00;
  • Boxster GTS – R$ 449.000;
  • Cayman S – R$ 449.000;
  • Cayman GTS – R$ 469.000;
  • Panamera – R$ 529.000;
  • Macan Turbo – R$ 539.000;
  • Cayman GT4 – R$ 569.000;
  • Cayenne GTS – R$ 579.000;
  • 911 Carrera S Coupe – R$ 639.000;
  • 911 Carrera S Cabriolet – R$ 689.000;
  • 911 Carrera 4S Coupe – R$ 689.000;
  • Cayenne Turbo – R$ 699.000;
  • Panamera S – R$ 719.000;
  • 911 Carrera 4S Cabriolet – R$ 749.000;
  • 911 Targa 4S – R$ 749.000;
  • Panamera GTS – R$ 799.000;
  • 911 GT3 – R$ 919.000;
  • Cayenne Turbo S – R$ 969.000;
  • Panamera Turbo – R$ 999.000;
  • 911 Turbo – R$ 999.000;
  • Panamera Turbo S – R$ 1.169.000;
  • 911 Turbo S – R$ 1.199.000;
  • 911 Turbo S Cabriolet – R$ 1.299.000.

Para informações mais completas e detalhadas sobre a Porsche, seus veículos e suas concessionárias autorizadas no Brasil, acesse o site nacional da marca: www.porsche.com.br. Lá você encontra tudo que precisa saber sobre os carros, seus itens de série e vantagens que a qualidade europeia da Porsche oferece.

Por Clarissa Souza

Porsche Cayenne GTS

Foto: Divulgação


Modelo terá as versões Longitude, Sport e Trailhawk

Depois de muitos anos de sucesso dos SUV's compactos e de crossovers dominados por modelos como o EcoSport e o Reanut Duster, por exemplo, agora é a vez do Jeep Renegade. Os admiradores de Jeep já devem estar comemorando muito, pois o carro, com o lançamento previsto para o dia 10 de abril de 2015, promete chegar com tudo.

De acordo com fontes ligadas ao lançamento, o Jeep Renegade será fabricado oficialmente na nova unidade da montadora, o Grupo FCA, que fica localizada em Goiana, Pernambuco.

Avaliado entre R$ 69.900 e R$ 116.900, é possível colocá-lo para competir com campeões de vendas da mesma categoria, como o HR-V da Honda, o qual tinha o mesmo preço tabelado na época do seu lançamento. Mas os usuários interessados não precisam ficar desanimados por causa do preço, pois a fabricante promete lançar uma versão paralela a esta, mas com um preço menor e com um motor de 1.8 Flex, para viabilizar o modelo. Essa versão estará à venda nas lojas a partir do mês de junho deste ano por um valor de R$ 66.900.

Além disso, o usuário poderá escolher entre três tipos de acabamentos, tendo à disposição as versões Longitude, Sport e Trailhawk, todas com opções 4×4.

Com dois tipos de motorização, o Renegade contará também com três opções de transmissão, compostas com uma manual de cinco marchas, automática de seis marchas ou ainda automática de nove velocidades.

As concessionárias, com certeza, estão ansiosas para receber o tão magnífico Renegade, e pelo menos 75 delas já estão praticamente preparadas e autorizadas pela marca a comercializar o novo modelo. Ao todo, serão 120 postos de vendas autorizados.

Pensando na expansão tanto do modelo quanto da marca, a Jeep investiu R$ 150 milhões para dobrar a concorrência nas vendas. O modelo dá a impressão de um carro bem confortável, oferecendo excelente design e sofisticação em suas funcionalidades.

Por Daniela Almeida da Silva

Jeep Renegade no Brasil

Jeep Renegade no Brasil

Fotos: Divulgação


Após ser apresentado ao público durante o Salão do Automóvel de São Paulo, o Fiat 500 Abarth já tem data estipulada para chegar ao mercado brasileiro e preço definido. Para competir na categoria hatchback premium, o pocket rocket da Fiat chega no mês de dezembro e será comercializado em versão única por aqui, com preços a partir de R$ 79.300, tendo com opcionais apenas o som feito pela marca Beats e o teto solar com acionamento elétrico.

Visualmente, o 500 Abarth traz as mesmas características da versão convencional do compacto da marca italiana, diferenciando-se apenas por detalhes que deixam o modelo mais agressivo e esportivo. Para tal, a Fiat acresce ao esportivo compacto para-choque dianteiro remodelado com ampliação da entrada de ar inferior, para-choque traseiro com difusor de ar integrado, faróis mais modernos, rodas de liga leve exclusivas de 16 polegada calçadas com pneus 195/45 R16, adesivos laterais em alusão a versão esportiva disponíveis nas cores branco, vermelho ou preto, retrovisores externos com capas da mesma cor que os adesivos laterais, aerofólio traseiro, dupla saída de escape com ponteiras cromadas e a logotipo da Abarth em substituição do da Fiat.  

Disponível em versão única, o Fiat 500 Abarth possui uma vasta lista de equipamentos de série para poder fazer frente aos concorrentes do seguimento. Por isso, o carro traz, entre outros itens, sete airbags (duplo frontal, lateral, do tipo cortina e de joelho), freios ABS com EBD, sistema de aviso de parada de emergência (Emergency Stop Signal – ESS), controle eletrônico de estabilidade e tração, controle de transferência de torque (Torque Transfer Control – TCC), assistência de partidas em aclives, direção elétrica, faróis dianteiros com projetor e regulagem elétrica de altura e ar-condicionado automático.

Além disso, o carro traz também banco com sistema de memória e Easy-Entry, bancos esportivos do tipo concha, no painel de instrumentos digital com computador de bordo centralizado, sistema Blue&Me, volante esportivo multifuncional com base achatada e sistema de som premium da marca Alpine.

Mecanicamente, o 500 Abarth vem equipado com motor 1.4 16V Turbo MultiAir, capaz de entregar 167 cv e torque de 23 kgfm, o que faz jus a atribuição de pocket rocket ao modelo, já que o veículo pesa 1.164 quilogramas e possui relação peso/potência de 6,79 kg/cv. Trabalhando em conjunto bloco turbo está um câmbio manual de cinco marchas, conjunto esse que faz o 500 Abarth acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 6,9 segundos, com velocidade máxima de 214 km/h.

Por Caio Polo

Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth

Fiat 500 Abarth

Fotos: Divulgação


Já há muito tempo que deixou de ser novidade o fato dos preços dos carros vendidos no Brasil serem absurdamente altos. Mas a coisa pelo visto tende a piorar (ou ganhar mais destaque).

Para se ter uma ideia melhor dessa situação tomemos como exemplo os países do BRICS, o bloco que agrega as maiores nações emergentes do globo. Parece brincadeira, mas pode acreditar, os preços dos carros vendidos por aqui são maiores do que os vendidos em países como Índia, Rússia, China e África do Sul. Ao menos foi isso que foi constatado por um levantamento feito pela empresa de consultoria Jato Dynamics.

Vamos aos detalhes: por aqui, em terras brasileiras o modelo mais barato que está sendo comercializado é Chery QQ. O modelo é um subcompacto que vem importado da China. Ressaltando que já foi informado que o carro terá uma nova geração que será produzida aqui mesmo. A expectativa é de que seja em breve.

Esse veículo sai das lojas pelo valor de R$ 22.990. Embaixo do capô temos um motor 1.1 além de um pacote relativamente considerável de itens. Agora, para comparar imagine que esteja na Rússia e quer comprar o carro mais barato do país. Por lá esse modelo seria o Daewoo Matiz que é meio aparentado com o QQ e adivinhe, custa apenas R$ 15,2 mil. Nesse exemplo, seria uma economia de mais de sete mil reais.

Continuando as comparações com outros países do BRICS a Índia e a China, podem acreditar, tem produtos nesse setor que aqui no Brasil seriam o preço de uma moto das mais simples. Vamos ver mais exemplos:

Com apenas R$ 7,6 mil os chineses podem comprar um Jiangnan TT. Agora tem uma curiosidade sobre esse antigo compacto: ele não tem nenhum item de série, nenhum mesmo!

A Índia se tornou bastante conhecida por ser o berço do Tato Nano que, sim, é o carro mais barato do mundo. Em uma conversão o modelo custaria em reais 5,2 mil.

A única conclusão que se pode tirar de tudo isso é que nos últimos tempos os carros que estão sendo vendidos no Brasil estão cada vez mais menos acessíveis. E a comparação não precisa ser feito apenas com os países do BRICS. Os preços aqui são exorbitantes em comparação com quase qualquer canto do mundo.

Por Denisson Soares

Chery QQ

Daewoo Matiz

Fotos: Divulgação


Não é de hoje que vemos a diferença gritante entre os valores cobrados por automóveis aqui no Brasil e nos Estados Unidos. Só isso já é o suficiente para influenciar o comportamento dos brasileiros, que tratam alguns modelos de entrada vendidos nos EUA como símbolo de status. Um exemplo é o Ford Mustang cujo preço lá é de US$ 24.425, o que equivale a aproximadamente R$ 54.120. O Muscle Car está equipado com motor 3.7 V6 e aqui o modelo não sairia por menos de R$ 200 mil.

Sem contar que os US$ 24.425 não pesa tanto no bolso do americano quanto os R$ 54 mil do brasileiro. Com esse dinheiro é possível comprar aqui um CrossFox da Volkswagen, por exemplo, que até então é um automóvel que não pode ser comparado ao Mustang. O mercado de lá é mais competitivo e isso é um fator que torna os preços melhores, contudo essa não é a única razão para os valores serem tão diferentes.

As explicações são inúmeras para os custos tão altos de importação e uma delas diz respeito à valorização dos modelos produzidos aqui, que são mais baratos do que os importados. Existem mais fatores que tornam os preços tão onerosos e o maior deles é o valor da carga tributária. Os impostos de importação são caros para que os modelos fabricados aqui sejam mais baratos e se tornem mais competitivos, entretanto, o custo de produção é elevado e muitas montadoras não querem produzir modelos como o Mustang por aqui. Ficamos com os modelos destinados aos países de terceiro mundo.  

Além desses fatores, o comportamento do brasileiro encarece o carro. Ele usa o automóvel como uma grande necessidade, tendo em vista o caos e a precariedade do transporte público. O financiamento também é algo ruim, pois muitos brasileiros não se importam com os valores que são divididos em 36 ou até 60 vezes, não se preocupando com os juros. 

Por Robson Quirino de Moraes

Ford Mustang

Foto: Divulgação


A Mercedes-Benz ampliou a família do sedan-coupé CLA no Brasil. Importado da Hungria, onde toda a produção mundial do modelo é feita, o CLA ganha três novas versões: CLA 200 Urban, CLA 200 Vision e CLA 250 4MATIC, com preços de R$ 127.900, R$ 149.900 e R$ 187.900, respectivamente.

O Mercedes CLA chegou ao Brasil apenas na versão CLA 200 First Edition, ao preço de R$ 150.500. Visando aumentar as vendas do coupé e não interferir nas vendas do novo Classe C (a partir de R$ 138.900), a marca alemã introduziu no mercado brasileiro as novas versões, sendo que duas são oferecidas com preços mais em conta que a configuração First Edition.

Com relação aos equipamentos de série, O CLA 200 Urban, versão mais básica do carro, conta, entre outros itens, com ar-condicionado automático, computador de bordo, piloto automático, múltiplos airbags, volante multifuncional revestido em couro, limpadores de faróis, além de sistema de áudio com conexão Bluetooth.

A versão intermediária CLA 200 Vision, possui os mesmos itens da versão Urban, acrescido de banco de motorista com controles elétricos, memória e apoio lombar, sistema de estacionamento automático (Active Parking Assist), teto solar panorâmico, ar-condicionado Thermotronic dual-zone, além do sistema Comand Online com navegação via satélite (GPS) integrado.

A configuração topo de linha CLA 250 4MATIC, traz espelhos com rebatimento elétrico, retrovisor interno antiofuscante, sistema Media Interface com Bluetooth e entradas auxiliares, além do pacote estético AMG suspensão esportiva e tração integral.

Mecanicamente, os modelos Urban e Vision possuem o mesmo motor 1.6 Turbo de 156 cv e torque de 25,5 kgfm. Já o CLA 250 4MATIC, por sua vez, vem equipado com o bloco 2.0 Turbo, o mesmo utilizado pela nova geração do Classe C, capaz de entregar 211 cv e torque de 35,7 kgfm. Todas as versões da família CLA trazem associado ao motor, a transmissão automática 7G-DCT com dupla embreagem e sete velocidades.

Com seu conjunto mecânico, o carro topo de linha acelera de 0 a 100 km/h em 6,6 segundos, com velocidade máxima de 240 km/h limitada eletronicamente. As versões com motor 1.6 Turbo aceleram de 0 a 100 km/h em 8,5 segundos.

Abaixo, versões e preços do Mercedes-Benz CLA:

– 200 Urban – R$ 127.900;

– 200 Vision – R$ 149.900;

– 200 First Edition – R$ 150.500;

– 250 Sport 4MATIC – R$ 187.900.

Por Caio Polo

Mercedes-Benz CLA 200

Mercedes-Benz CLA 250 4MATIC

Fotos: Divulgação

 


Hodiernamente, não é raro encontrarmos pessoas que querem ter o próprio carro e evitar o transporte coletivo. No entanto, adquirir veículo hoje está muito fácil e diante disso fizemos uma pesquisa para que você possa comparar o preço dos carros vendidos no Brasil e em outros países da América Latina. Entre os países destacam: Argentina, Chile e México.

No Brasil os veículos continuam com os preços mais caros do mundo, o que tem sido a queixa de muitos clientes. E isso ocorre não só com carros, mas também com outros tipos de produtos.

Entre os carros mais vendidos por aqui estão os sedans médios com destaque ao Honda Civic, que tem valores a partir de R$ 65.890 podendo chegar a R$ 74.900. Como você viu anteriormente, em outros países ele sai por preços mais baratos como é o caso de comprar o mesmo sedan no México que tem preços a partir de R$ 45 mil.

Há também o sedan compacto Honda City, cujo valor é de R$ 50.990 no Brasil, mas que promete subir até o fim do ano. Esse mesmo veículo é comprado no México por R$ 37,7 mil. Cabe lembrar que quanto mais acessórios e sofisticação o carro possui, mais alto é o valor aqui no Brasil, o que não ocorre em outros países em que o mesmo veículo pode custar a metade do preço.

O Toyota Corolla já possui preço mais elevado e está custando R$ 93.730 aqui e R$ 39 mil no México. Isso significa que um sedan lá fora custa mais barato que um Ford Ka aqui no Brasil. Isso tem deixado muitos brasileiros entediados, pois afasta os brasileiros de terem um carro melhor com mais conforto.

Há ainda o Ford Ecosport, considerado a opção mais cara para o consumidor, com preços a partir de R$ 62.900 aqui e R$ 38 mil no Chile

Por Luciana Viturino

Honda Civic 2014

Honda City 2014

Toyota Corolla 2014

Ford Ecosport 2014

Fotos: Divulgação

 


Muitos consumidores ainda se perguntam qual é o carro mais barato do Brasil. Com o lançamento do Up!, da Volkswagen, os rumores era que o modelo de duas portas da marca alemã seria o carro mais barato do Brasil, contudo o seu preço base está em R$ 26.900.

Como o carro mais barato ainda está na primeira posição o Fiat Palio Fire, depois da aposentadoria do Mille. O veículo segue, na sua forma mais simples, com um motor Fire 1.0 8V com quase nenhum equipamento de série por R$ 23.990 de duas portas.

Além do Up!, a briga (mesmo que pouco acirrada) também conta com o Clio, da Renault, que começa no valor de R$ 24.690, o March da Nissan, por R$ 27.990 e o chinês Chery QQ por R$ 24.490.

Para chegar nesses valores, as marcas não oferecem nenhum conforto. O Palio Fire equipa de série apenas os obrigatórios airbags dianteiros e freios ABS, além de apoios de cabeça dianteiros com regulagem de altura, banco traseiro rebatível, bancos com assento anti-submarining, bancos dianteiros reclináveis, barra de proteção nas portas e brake light. Sob o capô, a Fiat resolveu não fazer nenhuma alteração. O carro segue com um motor 1.0 8V Fire que rende 73 cv com gasolina e 77 cv com etanol, sempre a 6.250 rpm. O torque é de 9,5/9,9 kgfm com gasolina ou etanol no tanque, respectivamente. A transmissão é manual de cinco marchas e velocidade máxima de 164 km/h.

Na hora de comprar um Palio Fire, o básico não é tão facilmente encontrado. A versão mais vista nas concessionárias é o que vem com direção hidráulica, ar condicionado, rádio e vidros dianteiros elétricos. Nessa modalidade, o carro sai por R$ 32.334, e aí não fica tão econômico assim.

Detalhes do Palio Fire:

A potência baixa do carro é de se esperar, com um motor 1.0 o carro faz o que pretende. São longos 15,2 segundos para fazer 0 a 100 km/h. No quesito estabilidade, o Palio consegue ser fiel nas curvas e manobras. Para quem quer economizar, o veículo é mesmo o ideal. O modelo obteve duas notas "A", em um teste do InMetro tanto na classificação do segmento quanto no geral. As médias que garantiram o resultado foram de 8,8 km/l na cidade e 10,3 km/l na estrada com etanol e 12,3 km/l no trajeto urbano e 15 km/l na estrada quando abastecido com gasolina.

Por Carolina Miranda

Fiat Palio Fire

Foto: Divulgação


O Brasil continua com lema de ser país dos impostos. Essa crença existe inclusive no mercado automobilístico. De acordo os representantes que participaram da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos), do Senado Federal, em terras nacionais os impostos abocanham trinta por cento dos valores finais na compra do automóvel. Quem afirmou o fato no encontro foi João Vicente, secretário-geral da Confederação Nacional dos Metalúrgicos.

Se colocar as contas no papel sobre o preço para comprar automotivo no Brasil, em termos de carga tributária, o valor representa o dobro, ao comparar com negócios que acontecem nos países europeus, tais como Espanha, Reino Unido, Alemanha e França.

Esses são locais nos quais impostos abocanham dezessete por cento do valor final pago no carro. Ao comparar com os japoneses, as taxas correspondem em nove por cento da quantia que vale o veículo, ao ponto que nos Estados Unidos é igual a seis por cento.

Vicente ainda aponta que, no Brasil, trinta por cento dos carros são tributos, o segundo maior valor no geral. O gasto principal está na compra dos componentes materiais (cinquenta por cento no valor do carro). Na terceira opção se encontram as peças de reposição (doze por cento).

Luiz Moan, presidente do ANFAVEA (Associação dos Fabricantes de Veículos Automotores), indica que os números de Vicente podem ser subestimados, em principal ao contar os impostos diretos que na soma ultrapassam valor além do que cinquenta por cento no custo geral para comprar carro.

Margem de lucro das montadoras, preços dos salários de trabalhadores e da matéria-prima se equivalem à outra metade do custo. Nesse sentido, quem trabalhou no automotivo recebe menos do que o poder público abocanha com os impostos.

Grande parte dos representantes não políticos que participou do encontro no Senado culpou os impostos exacerbados como a causa principal do preço alto dos carros no Brasil.

Por Renato Duarte Plantier

Foto: divulgação


Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (6 de janeiro) pela Anfavea, a indústria brasileira de veículos teve alta de 2,9% na produção em janeiro sobre o mês de dezembro. A associação divulgou ainda que houve uma queda de 11,7% nas vendas na mesma comparação.

As informações divulgadas dizem que a produção somou 237,5 mil veículos. Com isso há queda de 18,7% sobre o volume recorde para o mês definido em janeiro do ano passado.

Com o crescimento de 0,4% sobre o dado de um mês atrás, que também havia sido o maior para o mês, as vendas foram de 312,6 mil unidades.

Em relação ao mesmo período do ano passado, o segmento de automóveis e comerciais leves teve queda de 20% na produção em janeiro.

Já as estatísticas para os caminhões apontam alta de 9,3% e ônibus um recuo de 16,8%.

No início desta semana algumas fontes do setor afirmaram que no mês de janeiro as vendas haviam sido impulsionadas pelo estoque de veículos produzidos sob o benefício de desconto do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que no início do ano foi elevado novamente pelo governo.

No ano passado, o setor fechou com 352,4 mil veículos em estoque.

Os carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, tiveram as exportações somadas em 25,78 mil unidades em janeiro. As vendas externas de veículos somaram, em termos financeiros, 673 milhões de dólares, este valor reduz em 18% o valor faturado em janeiro de 2013.

Já a exportação de veículos brasileiros, incluindo as máquinas agrícolas, caiu em 13% no mês de janeiro.

A montadora italiana Fiat fechou o mês de janeiro com 63.049 automóveis e comerciais leves vendidos. Já a Volkswagen apurou licenciamentos de 56.133 unidades e a GM fechou o mês com 53.033 emplacamentos.

Já com os caminhões, a MAN (do grupo Volkswagen) liderou as vendas com 2.847 unidades.

Por Ageu da Rocha


UP!, o novo carro da Volkswagen já está batendo na porta do mercado brasileiro. O carro que possuirá seis versões, com duas opções de transmissões, ganhou o selo do Inmetro com uma ótima nota em todas as categorias.

O carro, que será lançado no dia 5 de fevereiro, ainda não teve um suposto real preço divulgado. Mas, sabe-se que ele será produzido em uma das fábricas do interior de São Paulo.

A Volks ainda tenta manter alguns segredos, mas com algumas apurações, há boatos de que o carro em sua versão mais simples poderá sair por menos de R$ 28.000 já com os itens de série: airbags e freios ABS. Entretanto, os opcionais como vidros elétricos e direção elétrica irião acrescentar um preço a mais no carro.

E sua versão mais cara, a White, Black e Red, sairá em média R$ 36.000, já com os itens de série: direção elétrica, ar condicionado, entre outros. Essa versão do carro será mais exclusiva no sentido de ter o seu acabamento interno diferenciado, por exemplo.

O carro, que já levou cinco estrelas no teste de segurança, tende a ser um lançamento importantíssimo para a revendedora, que pretende aclopar as vendas do Gol G4 e ser o “novo” fusca. O “Fusca do Século XXI”.

O design do carro é algo moderno e bonito e ele atenderá a necessidade de seu consumidor, já que, cada modelo é voltado para um certo tipo de pessoas. Aquelas que gostam de carros menores, por exemplo, irão apreciar a versão do UP Take. Já aquelas que gostam de mais espaço e algo mais “seu”, apreciaria muito a versão White, Black e Red.

Já as outras versões, a Move, tem mais uma cara de carro esportista, e o High, demonstra uma certa delicadeza em seu design.

Enfim, o carro com toda certeza irá agradar os fãs da montadora e das outras, também.

Por Mariana Caetano

Volks UP!

Foto: Divulgação


O Ibope Inteligência realizou no Brasil uma pesquisa por meio da Pyxis Consumo, uma ferramenta que analisa o dimensionamento de mercado. De acordo com dos dados levantados, a previsão é de que os brasileiros gastem até o fim de 2013 algo em torno dos R$ 277 bilhões para  a compra de veículos (modelos novos e usados), serviços, acessórios, peças, combustível e manutenção. Em termos comparativos, esse valor é cerca de 6% maior do que o que foi gasto no ano passado.

Ainda de acordo com as informações levantadas pela Pyxis Consumo, em média cada cidadão brasileiro deverá gastar R$ 1.691,70 durante o ano. Desse total, R$ 1.048,33 serão direcionados para a aquisição de novos veículos, R$ 216,97 serão para serviços relacionados à manutenção e R$ 426,40 serão com combustível.

Uma olhada mais atenta nos dados revela que a classe que detém o maior potencial de consumo é de famílias de classe B. Esse setor deverá tirar do bolso R$ 143 bilhões. Do consumo total, esses números representam 52%. Na sequência, com um gasto previsto em R$ 66 bilhões, estão as famílias de classe C.

Já a região onde foi identificado o maior grau de consumo é a Sudeste, como era de se esperar. O coração do país concentra 51% do potencial de consumo nacional, que é de R$ 142 bilhões. Em relação ao ano de 2012, houve um aumento de 6%. Nessa comparação a classe B continua liderando com uma porcentagem de consumo que chega a 55%, o que totaliza R$ 78 bilhões. Em seguida vem a classe C e A, com 22% cada (R$30 bilhões).

A região do Brasil que ocupa a segunda posição no potencial de consumo é a região Sul, com um gasto estimado em R$ 31 bilhões. A classe B também é a responsável pela maior parte do consumo nessa região, com 51% do potencial consumista. Os desembolsos feitos pela classe B na região deverão fechar o ano totalizando R$ 27 bilhões.

Em último lugar na lista está a região Norte, onde o potencial de consumo não ultrapassa a representatividade de 5%. Em termos financeiros isso representa apenas R$ 14 bilhões na escala nacional.

Por Denisson Soares


Suzuki Jimny será produzido no BrasilA empresa japonesa Suzuki está lançando seu primeiro jipe fabricado no Brasil. Trata se do Jimny

O Jimny é excelente para quem gosta de aventuras fora da estrada. Nesse novo modelo estão os para-choques novos e scoop no capô.

O JImny vem em quatro versões, sendo 4ALL, 4WORK, 4SPORT e 4SUN

Todas as versões vêm com motor a gasolina 1.3 16V com 85 cavalos de potência, câmbio manual de 5 marchas e tração nas 4 rodas acionada manualmente.

Como é um carro alto, passa por atoleiros de todo o tipo, encara qualquer terreno graças a sua tração nas 4 rodas, porém o pneu lameiro é opcional. Ele vem com itens de série, como ar condicionado, rádio, CD Player com entrada USB, trio elétrico, Bluetooth e retrovisores elétricos. 

Além de ser um veículo que encara qualquer situação também é confortável, como na versão 4SUN que vem com teto solar ótimo para o clima tropical aqui do Brasil. 

Ele está sendo comercializado nas concessionárias de todo o país pelos seguintes preços:

– 4ALL: R$ 55.990;

– 4SUN: R$ 59.990;

– 4SPORT: R$ 61.990;

– 4WORK: preço não divulgado.

Por Mariana Rodrigues


Com uma certa dificuldade para penetrar no mercado dos modelos Flex, a Hyundai começou a exportar para o Brasil o modelo Elantra, com motor compatível com a nova tendência do mercado, objetivando desta forma, entrar de fato na briga dos sedans médios contra as marcas japonesas.

O propulsor 2.0 16v da família Nu passa a desenvolver 178 cv de potência e 21,5 kgfm de torque máximo com álcool e 169 cv e 19,9 kgfm com gasolina – só com o derivado do petróleo eram 160 cv.

O Elantra Flex é vendido em duas versões, sempre com câmbio automático de seis marchas.

O Elantra continua figurando entre os mais completos da montadora. Sua lista inclui central multimídia com GPS e tela de sete polegadas sensível ao toque, câmera de ré, sensores de chuva e de obstáculos dianteiros, e ar condicionado automático.

O ponto negativo é que o salgado valor de R$ 96.376 não é um atrativo, e está um pouco acima do preço encontrado no mercado, em outros modelos top das concorrentes. Assim como toda a linha da Hyundai, o modelo tem cinco anos de garantia sem limite de quilometragem.


O mercado de automóveis no Brasil registrou momentos bons durante o ano de 2012. Mas esta situação não ocorreu para os veículos importados, pois o Super IPI – redução na cobrança do imposto – não foi aplicado para empresas que não possuem fábrica no Brasil.

Com isso, o mercado em 2012 significou a redução de investimentos, fechamento de lojas e mudança nas estratégias para o mercado brasileiro deste tipo de veículos.

O único benefício desta situação foi que algumas importadoras, como Chery, JAC e BMW começaram a construir fábricas no Brasil para se beneficiar das vantagens do sistema automotivo Inovar Auto.

A essas marcas outras empresas – como Volvo Audi, Suzuki, Land Rover, Changan e Haffei – já informaram que irão nacionalizar suas produções já que no futuro com o novo sistema automotivo presente no país será impossível se manter no mercado brasileiro apenas importando veículos.

Toda esta corrida para ter fábricas nacionais se justifica pelo fato de que com o Inovar Auto a montadora recebe um desconto de 30% no valor do IPI de 50% da previsão de produção de veículos no país com a fábrica já montada e funcionando em território nacional.

Por Ana Camila Neves Morais


A Audi divulgou uma informação que agradou aos consumidores, pois anunciou o desenvolvimento de um modelo de automóvel supereconômico que irá percorrer 100 km por litro de combustível gasto, segundo a montadora.

Este sonho de carro, de acordo com Wolfgang Durheimer chefe de desenvolvimento da Audi, terá como base o A1 e o seu design será parecido com o carro conceito Coupé Crosslane.

Foram divulgados poucos detalhes até o momento sobre este novo veículo, mas o que se sabe é que ele terá quatro lugares, com um motor de 2 cilindros e tudo isso com um preço acessível mas sem abrir mão do conforto para o acréscimo de economia anunciado.

No entanto, esta novidade deve demorar um pouco para chegar ao mercado já que a previsão da Audi é de que ele seja apresentado nos salões de automóveis em no mínimo 03 anos.

Fonte: Autocar

Por Ana Camila Neves Morais


O Citroën C3 já foi apresentado no Brasil, onde a fabricante mostrou todas as diferenças para com o mercado europeu. O hatch está totalmente renovado, e ainda contará com um valor acessível, saindo por R$ 39.990, na versão Origine, R$ 43.990 como Tendence, e R$ 49.990 como Exclusive. Já o modelo com transmissão automática poderá chegar a R$ 53.990.

Contudo, todas essas versões serão equipadas com airbag duplo, freios ABS, ar condicionado, e direção elétrica. O para-brisa está com nova estrutura, saindo dos 99 cm para 1,35m, deste modo, ele estica sobre a cabeça do motorista e do passageiro, que permite um maior campo de visão.

O carro compacto vem sendo estudado há mais de três anos, a fim de adequá-lo ao mercado brasileiro, dando uma cara nova ao mesmo. Além disso, apesar de ser um compacto o seu design permite que o veículo pareça ser maior, até porque ele realmente está com 9,4 cm a mais de comprimento, 4,1 cm de largura e 2,46 de distância entre os eixos. Deste modo, agora é a vez dos homens também ficarem atraídos pelo carro que normalmente é o foco do mercado feminino.

Por Camila Caetano


O sedã médio J5, da JAC Motors, ganhou uma boa redução no preço, de acordo com a notícia publicada no site da montadora chinesa. Anteriormente custando R$ 53.990,00, o modelo já havia passado por um corte no preço, devido à redução da alíquota do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), e agora ganhou um novo bônus, sendo comercializado a R$ 46.990,00.

O JAC J5 é impulsionado pelo motor VVT 16V, de 1.5 litro, capaz de entregar 125 cv de potência a 6000 rpm. Gerenciado pelo câmbio manual de cinco velocidades, o bloco leva o veículo a uma velocidade máxima de 188 km/h, conforme os dados da JAC Motors.

Ele conta com uma lista completa de acessórios, que abrange duplo airbag, alarme antifurto, barras de proteção lateral, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, sensor de estacionamento traseiro, lanternas dianteiras e traseiras de neblina, regulagem elétrica de altura para os faróis e retrovisores elétricos.

Para o conforto e a comodidade dos passageiros, o J5 vem com vidros dianteiros e traseiros elétricos, bancos em veludo, ar condicionado digital, porta copos, luz de leitura, rádio com CD player, MP3 e entrada USB, seis alto-falantes e porta revistas. Já no caso do motorista, os destaques entre os itens são: o ajuste de altura para o assento, volante com regulagem e revestimento em couro, direção hidráulica e iluminação azul no painel de instrumentos.

O preço reduzido, de acordo com o site da JAC Motors, será válido até o dia 31 de julho de 2012.

Por André Gonçalves


O Mini Roadster acabou de chegar ao Brasil. Trata-se do primeiro carro conversível da marca britânica a ser lançado com dois assentos. Além desse diferencial, o automóvel conta com um amplo porta-malas que comporta até 240 litros, bem como uma moderna capota que pode ser movida de forma manual.

De acordo com a montadora, o veículo conta com uma excelente propulsão, realizada pelo motor 1.6 Turbo, que atinge 122 cavalos, acelerando de 0 a 100 km/h em apenas 9,2 segundos em sua versão de partida.

Já a S Roadster, versão top de linha, conta com configurações ainda  melhores, pois apesar de possuir o mesmo motor, gera 184 cavalos de potência e atinge de 0 a 100 km/h em 7 segundos. Ambas as versões são movidas a gasolina.

Em termos de visual, o Mini Roadster se apresenta com um design esportivo, elegante e jovial. Suas linhas são arrojadas e as opções de cores são atraentes. Dentre outros atributos, o  conversível vem com itens de série como o controle de estabilidade dinâmica,  direção elétrica e controle dinâmico de tração.

No mercado brasileiro, o lançamento será comercializado pelos preços de  R$ 133.000,00 no modelo convencional e R$ 145.00,00 na versão S Roadter.

Por Larissa Mendes de Oliveira


J5 da JAC Motors já chegou ao mercado brasileiro, embora o lançamento oficial deva ocorrer somente no mês de março. Na verdade, o que se vê nas concessionárias tem servido apenas de mostruário, a fim de aumentar a expectativa em torno do modelo, que sem dúvida,  é a grande investida da montadora para o ano de 2012. Os consumidores interessados já começaram a reservar o automóvel ao custo de partida de  R$ 53.900

O sedã em questão será disponibilizado com inúmeros itens de série, dentre eles ar condicionado digital, kit multimídia com rádio MP3 e entradas USB, direção hidráulica, airbag duplo e muito mais. Além desses atributos, o veículo será composto por rodas com  aro de 16 polegadas, portas com travamento automático, alarme,  sensor de estacionamento, freios ABS, vidros e retrovisores elétricos.

Mecanicamente falando, de acordo com a fabricante, o  J5 conta com propulsor 1.5  que atinge 125 cavalos de potência. Além disso, a transmissão é  manual com cinco marchas. Trata-se de um conjunto muito eficiente, capaz de chegar à velocidade limite de 188 km/h.

Espaçoso, o automóvel mede 1,46 m de altura, 1,76 m de largura  e 4,59 m de comprimento e o seu porta-malas tem capacidade de 460 litros. Como se não bastasse, o modelo dispõe ainda de itens opcionais fantásticos como banco de couro legítimo, pintura metálica e rodas de aro 17 polegadas.

Por Larissa Mendes de Oliveira


A montadora de luxo Mercedes-Benz acabou de lançar no Brasil o novo CLS 350. O  requintado  sedan de  quatro portas já pode ser encontrado nas concessionárias brasileiras pelo preço de R$ 369.900,00, valor reajustado em função do aumento do novo IPI. A versão anterior do automóvel era comercializada por R$ 330.000,00.

O veículo pesa 1.735 kg, conta com fechamento automático de porta-malas e sistema seguro  Keyless-Go, permitindo que a porta seja aberta e o carro seja ligado sem a necessidade de chave. Além disso, o motor do CLS 350  é um espetáculo. Trata-se do  Blue Efficiency, um 3.5 V6, capaz de gerar até 306 cavalos de potência. O carro dispõe ainda de câmbio 7G-Tronic, que possibilita uma transmissão rápida e precisa. A suspensão foi totalmente recalibrada e ganhou completa assistência de direção eletromecânica. 

O novo cupê é dotado de uma esportividade ímpar. Seu design atrai ao primeiro olhar, pois a parte interna com suas linhas arrojadas e acabamento perfeito são convidativos. O interior do carro segue a mesma concepção e surpreende pela beleza, conforto e refinamento. O volante é completamente revestido em couro legítimo em três nuances modernas de cores (Preto, Cinza Alpaca e Bege Amêndoa).

A versão conta ainda com ar condicionado THERMOTRONIC, bancos com  memória e regulagem elétrica, ajuste elétrico da direção, conexão Bluetooth,  tela de 7 polegadas com sintonizador para TV e DVD, faróis de LED,  airbags laterais, frontais e cortina, moderno sistema de segurança PRE-SAFE e muito mais.

Por Larissa Mendes de Oliveira


Já chegaram no Brasil, dois lançamentos muito aguardados pelos apaixonados por carros. Trata-se do Equus e do Genesis da Hyundai. As concessionárias brasileiras já estão aceitando reservas da dupla de automóveis que promete virar sensação no país, porém, isso só é possível, mediante a um sinal  de 10% do valor do modelo escolhido.

Vale ressaltar, que os sedans de luxo não custam barato. Os preços divulgados pela marca correspondem a R$ 330.000,00 para o Equus  e  R$ 220.000,00 para o Genesis. O valor se justifica pelo design marcante e super moderno,  matéria prima de alta qualidade e a tecnologia de ponta utilizada nos dois lançamentos.

Na parte mecânica,  o Genesis contará com um motor 3.8 V6  com potência de  290 cavalos e  câmbio automático de oito marchas. Em contrapartida, o Equus será movido por um motor 4.6 V8 e atingirá a excelente marca de  371 cavalos de potência.

Ambos os automóveis serão disponibilizados nas elegantes  cores branca, prata e preta. Na parte interna, o carro será conforto puro, com  seus bancos revestidos de couro, ventilação interna, sistema multimídia completo e acabamento em madeira real e aço puro. Irresistível não?

Por Larissa Mendes de Oliveira


O Hyundai Veloster chega ao mercado australiano com um preço muito inferior ao mercado brasileiro. Além de já termos que pagar quase o dobro do preço (hoje, US$ 1,00 vale R$ 1,71), ainda sofremos com os impostos que incidem sobre os carros importados, que cada vez vêm aumentando seu percentual (atualmente um aumento de 25% a 28%).

O preço inicial do cupê Veloster, na Austrália é de US$ 23.990,00, o que giraria em torno dos R$ 41.226,00. O modelo mais básico do Veloster terá preços a partir de US$ 25.990,00, enquanto no Brasil, o mesmo modelo, vem ao mercado com preço inicial de R$ 75.700,00. Já no modelo mais caro do Veloster, o preço no mercado australiano gira em torno de US$ 29.990,00, enquanto no Brasil o modelo custa R$ 82.900,00.

Com as altas taxas de IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) os preços dos carros importados aumentam significativamente, essa intenção é de estimular as vendas internas do país. Só que com essa medida, o Brasil já sofreu um rombo de US$ 1,5 bi com carros dos nossos vizinhos (México).

Pesquisas na internet comparam os preços de carros no Brasil, e dos mesmos no México, Chile, e etc. A conclusão é de que nos países vizinhos ao Brasil, os preços são realmente mais baixos. Algo que gira em torno da metade do preço dos carros vendidos em terras tupiniquins.

Por Maritsa Meneses

Fontes: Notícias Automotivas, Exame


Saiu a lista da variação nos preços dos carros novos que foram vendidos no Brasil no ano de 2011. A lista foi elaborada a partir do estudo publicado pela AutoInforme/Molicar.

Considerando a média da variação dos preços, os carros zero km ficaram mais baratos no ano passado, com queda de preço de 0,14%.

No total, 24 marcas apresentaram queda nos preços, 21 marcas apresentaram alta e duas se manteram estáveis.

As cinco marcas que tiveram maiores altas foram: Toyota (5,66 %), Kia (5,09 %), Subaru (4,94 %), Ford (4,86 %) e Lifan (4,44 %).

Já na lista de queda de preço estão: Maserati (-11,38 %), Jinbei (-6,65 %), Honda (-6,28 %), Renault (-5,63 %) e Jeep (-5,53 %).

Ferrari e Chamonix não alteraram o preço de seus carros.

A expectativa é que em 2012 o setor automotivo tenha grande crescimento nas vendas, de pelo menos 5%.

O crescimento, aliado ao aumento de marcas e modelos disponíveis à venda, podem fazer com que os preços dos carros novos sejam puxados para baixo durante este ano. Vale lembrar que os carros vendidos no Brasil são um dos mais caros do mundo, com modelos que chegam a custar até o dobro do preço se comparado com outros países.

Por Lucas Ferreira


Ter um veículo novo, com bom desempenho e diferente da maioria é o desejo que move a maior parte dos motoristas que correm atrás das novidades automobilísticas. O problema é que várias pessoas podem ter a mesma ideia ao mesmo tempo, e aí ela já não é mais tão original quanto parecia. Quando se trata de comércio, outro empecilho surge: a lei da oferta e da procura, que inflaciona qualquer produto cujas vendas sejam bem sucedidas.

Chegou recentemente ao Brasil o mais chamativo lançamento de final de ano da Hyundai, o Veloster. O carro, que tem aparência original e moderna, impressionou ao apresentar o design inovador com três portas. A quebra brusca de padrões estéticos poderia resultar em grande rejeição por parte do público brasileiro, mas a jogada, embora arriscada, deu certo. O esportivo caiu rapidamente no gosto do consumidor, tornando-se sucesso com uma velocidade inesperada. 

Para os primeiros proprietários (que encomendaram o veículo antes que ele chegasse às concessionárias) a novidade custou cerca de R$ 63 mil, mas a procura em nível inesperado “turbinou” os preços e hoje é possível encontrar o Veloster sendo comercializado por mais de R$ 80 mil (na versão com teto solar).

Para os que estiverem dispostos a desembolsar uma quantia maior ainda tentando conseguir um exemplar mais raro, a Hyundai promete a versão branca do esportivo, por um acréscimo de R$ 5 mil.

Pois é, dirigir com estilo custa caro. Mas a julgar pela alta contínua dos preços, os consumidores continuam achando que vale a pena.

Por João Gabriel de Lima


O March, novo compacto da Nissan, foi lançado oficialmente no mercado brasileiro. O modelo, que é importado do México, chega custando a partir de R$ 27.790, e é a aposta da marca japonesa para entrar na briga pelo segmento de carros populares do país.

A versão básica tem sob o capô o motor 1.0 flex, de 16 válvulas, que entrega 74 cv de potência máxima e torque de 10 kgfm. De série, ele traz computador de bordo, duplo airbag, banco com ajuste de altura (para o motorista), rodas aro 14 e conta-giros. Acrescentando R$ 700, é possível adicionar desembaçador e limpador traseiro, e calotas, entre outros itens, que configuram a versão March 1.0 Plus.

A linha equipada com o bloco 1.0 tem ainda as versões March 1.0 Confort, com preço sugerido de R$ 31.990, e que acrescenta acessórios como direção elétrica e ar condicionado ao pacote anterior; e o March 1.0 S, adicionado de controles elétricos para o acionamento das travas, dos espelhos retrovisores e dos vidros, que custa R$ 33.390.

Completando a família, aparecem os modelos equipados com o motor 1.6 16V, também bicombustível, capaz de gerar até 111 cv de potência e 15,1 kgfm de torque. O March 1.6 S, com pacote de itens parecido ao do 1.0 S, sai por R$ 35.890, enquanto o March 1.6 SV, com alarme, som 2 DIN e rodas de alumínio aro 15, custa R$ 37.990. Já o March 1.6 SR, cheio de detalhes esportivos, será comercializado por R$ 39.900.

Por André Gonçalves


O novo sedã da Honda está chegando às concessionárias do Brasil. Fabricado no Japão (de onde importamos o nosso modelo) e também no México, o Honda Accord chega com uma concepção de preço não muito adequada à nossa realidade, se levarmos em conta o que ele tem para oferecer.

Aqui, sem os incentivos fiscais de que gozava quando então vigorava o acordo fiscal Brasil/México, o Accord terá um preço inicial em torno de R$ 99,8 mil, na versão 2.0. Ou seja, o consumidor final pagará pelo modelo (sem os incentivos) 35% a mais, percentual que antes representava a alíquota de importação.

Em compensação, o novo Honda é um sedã relativamente básico, pois só encontraremos itens como sistema de som avançado, opções de seis airbags e controle de tracionamento no modelo V6, mas com o custo de R$ 134 mil.

Portanto, fazendo uma comparação simples, melhor seria optar por veículos como o Ford Fusion ou o Chevrolet Malibu, que na mesma categoria possuem preços e configurações bem melhores.

Por Alberto Vicente


Chega ao Brasil o primeiro carro da Audi custando abaixo de R$ 100 mil. Com o valor de R$ 89.900, o A1 deverá representar 40% do faturamento da empresa no país. O carro chega para conquistar o público brasileiro com seu design progressivo, charme e personalidade esportiva.

O A1 possui faróis de xênon plus com ajuste automático e luzes diurnas em LED, tecnologia existente em modelos maiores da empresa; além de o mesmo estilo de iluminação estar presente nas portas, teto, na luz de leitura, pés e maquiagem.

Seu compartimento de bagagem é mais baixo para facilitar o carregamento e o descarregamento e comporta 267 litros. O Audi A1 pode conquistar também pelos itens customizados, como arco do teto com pintura contrastante e cores nas saídas de ar internas. Ele também oferece o sistema start-stop, para auxiliar na economia de combustível e redução na emissão de CO2.

O motor do A1 tem 122 cavalos e injeção direta de combustível, sua aceleração de 0 a 100 km/hora é feita em 8,9 segundos e chega até 203 km/hora. Ele é econômico e possui consumo médio de 18,8 km/litro; além de possuir tecnologia inteligente, ou seja, ele recupera a energia da frenagem para ativá-la quando o carro voltar a acelerar.

O A1 também vem equipado com airbags frontais, laterais e cortinas de proteção para a cabeça. Possui BLUETOOTH e o Audi Music Interface, que permite a conexão e reprodução de iPod e celulares.

Outras informações sobre o veículo podem ser encontradas no site www.audi.com.br.

Por Danielle Vieira


De olho no mercado consumidor da Classe C brasileira, a montadora chinesa Chery lançou o seu modelo QQ, no Rio de Janeiro, no dia 28 de abril.

O carro vai ser vendido em apenas uma versão com oito cores opcionais e vem todo equipado com itens de série, como regulagem de altura do farol, airbags, ar-condicionado, freios ABS, direção hidráulica e trio elétrico (travas,  vidros e espelhos elétricos).

O carro é movido a gasolina (tanque de 190 litros), com motor 1.1 de 68 cv e torque máximo de 9,1 Kgfm a 4.000 rpm.

O modelo será comercializado por R$ 22.990, o que faz do QQ o carro mais em conta do Brasil. A fabricante trouxe o veículo para concorrer com modelos de outras marcas, como o Fiat Uno, Celta da GM e o Effa M100, que custam entre R$ 23.220,00 e R$ 26.115,00.

Até os preços das revisões são econômicos, ficando por volta de R$ 99 (a primeira de 2.500 km) e por R$199, a de 40.000 km.

A Chery pretender vender, ainda em 2011, cerca de 12 mil unidades do seu novo compacto mo país.

Por Andrea Gomes


O Hyundai Elantra tem previsão de estrear no Brasil ainda no primeiro semestre de 2011. A cada dia, surgem mais detalhes sobre o novo sedã médio, que chegará para concorrer no mercado nacional.

As últimas novidades são referentes aos preços e aos itens de série, que estão sendo divulgados em alguns sites especializados. De acordo com as informações, o modelo estará à venda em quatro opções de configuração, nas cores preto ou prata. A versão de entrada, com câmbio manual de seis marchas, terá o preço sugerido de R$ 68.700. O mesmo modelo, com transmissão automática, sairá a R$ 73.100. A versão intermediária, com bancos elétricos de couro, oito airbags e controle de estabilidade, vai custar R$ 78.600. Já para a versão top de linha, com teto solar, dentre outros adicionais, o preço é R$ 81.200.

A lista de itens de série, comum em todas as versões, tem direção hidráulica, câmera de ré, faróis com acendimento automático, rodas aro 17, trio elétrico, sensor de chuva, ar condicionado automático de duas zonas, sistema de som completo (com diversas conexões) e freios ABS, dentre outros. O motor 1.8, a gasolina, de 148 cv de potência e tração dianteira, também será compartilhado.

Por André Gonçalves


Volkswagen vai lançar no mercado brasileiro a pick-up Amarok em sua versão básica, que vai contar com cabine dupla e muitas novidades.

Agora, além das versões já existentes que são a Trendline e Highline, o consumidor poderá escolher entre as novas versões de cabine dupla que em breve chegarão às concessionárias Volkswagen de todo o Brasil.

A Amarok com cabine dupla estará disponível com tração 4×2 (traseira) e 4×4 que pode ser acionada de acordo com a necessidade do condutor. O modelo vem ainda com motor 2.0 a diesel, que conta com uma turbina e com potência de 122 cavalos.

As novas versões contam com os seguintes itens de série: ar-condicionado, direção hidráulica, rádio mp3, freio ABS, sistema de Bloqueio Eletrônico do Diferencial para proporcionar mais segurança e evitar que o veículo deslize quando a roda ficar sem tração, além de outros recursos que garantem maior segurança e conforto ao motorista e aos passageiros.

O valor da Amarok com tração 4×2 será a partir de R$ 88.990. Já a versão com tração nas quatro rodas será comercializada por R$ 92.990.  

Por Andrea Gomes


A Mitsubishi lançará no Brasil em abril o Outlander 2.0L, agora com mais equipamentos de série e nova motorização. Ele é reconhecido porque tem esportividade, conforto e segurança. Os itens que garantirão a segurança do motorista e dos passageiros são os airbags duplos, laterais e de cortina e os faróis de LED, que deixam o carro mais visível.

O Outlander vem com equipamentos de série para deixá-lo ainda mais bonito: rack de teto, bancos de couro e ponteira cromada do escapamento. E em termos tecnológicos, os itens são: sensores automáticos de luz e chuva, ajuste elétrico no banco do motorista e sistema viva-voz com Bluetooth.

O motor está ainda mais forte. É o Mivec movido a gasolina, que alcança 160 Cv a 6.000 rpm e torque de 20,1 kgf.m a 4.200 rpm. O novo crossover ter tração 4×2 e câmbio INVECS-III CVT automático equipado com Paddle Shiftters e Sports Mode sequencial de 6 marchas. As rodas de liga leve do modelo japonês têm aro 18” com desenho exclusivo e a sua parte traseira tem aerofólio e brake light integrado. O preço sugerido é de R$99.990,00.

Por Flávia Yoshitani


Dando continuidade em torno de informações sobre seus veículos automotores versão 2012, a Volkswagen anuncia ao público brasileiro o novo exemplar do Jetta, que passa a contar com maior conforto e esportividade por meio de uma plataforma desenvolvida estritamente ao modelo.

O sedã médio chega ao consumidor final em duas versões, a Comfortline, com motorização 2.0 Total Flex capaz de desenvolver 120 cavalos de potência, transmissão manual de cinco marchas e automática de seis marchas, e a Highline, aprovisionada com motor 2.0 TSI de 200 cavalos de potência, transmissão DSG com dupla embreagem e seis marchas.

As medidas do novo Jetta são mais amplas em relação à versão antecessora. Essa característica, aliada a novas linhas de design, tais como horizontalidade nos desenhos e aerofólio similar aos splitters utilizados em carros de competição, conferem ao carro um visual esportivo.

As principais novidades no interior do Jetta podem ser observadas no próprio equilíbrio das cores, que remetem aos automóveis europeus. A VW também ampliou o espaço para as pernas no banco traseiro.

Com lançamento previsto para abril, informações preliminares sobre preços do Jetta 2012 indicam valores de R$ 65 mil a R$ 90 mil.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: VW


Após certo atraso um dos carros mais populares da Fiat, o Uno enfim terá sua versão duas portas comercializada no mercado brasileiro. A montadora italiana confirmou que o novo modelo estará à venda a partir do final deste mês de Fevereiro em suas concessionárias.

O novo Fiat Uno duas portas vem com um desenho mais moderno. Suas linhas são equilibradamente compactas e transmitem a aparência de uma maior suavidade no desenho com uma frente mais despojada. Para um compacto urbano o design é jovial, leve e bastante agradável. O novo modelo será oferecido exatamente nas mesmas versões do Uno quatro portas atualmente vendidas, que são: Way 1.0 e 1.4, Attractive 1.4, Sporting 1.4 e Vivace 1.0.

Seu preço inicial no modelo Vivace 1.0 Flex duas portas parte de R$ 26.490. O modelo Way 1.0 também Flex nesta nova versão sairá a R$ 27.670. A versão Attractive 1.4 Flex com duas portas custa a partir de R$ 29.840. Já o modelo nesta nova versão da configuração Way com motorização 1.4 Flex tem seu preço partindo de R$ 30.650 e finalmente a versão Sporting 1.4 Flex duas portas custa R$ 32.170.

A expectativa da montadora é que o modelo duas portas tenha o mesmo sucesso que o Uno tradicional. O que deverá ocorrer principalmente porque em função do atraso formou-se uma fila de espera que segundo a fabricante chegou a 20 mil veículos. 

Por Mauro Câmara

Fonte: Auto Esporte


Elegante no desenho e cheio de classe no estilo, como é hábito dos modelos  da Peugeot, o novo sedã 408 teve confirmado para os últimos quinze dias do próximo mês de Março o início de suas vendas no Brasil e também os valores que serão praticados para sua aquisição. E reside justamente neste item um diferencial da marca para aumentar suas vendas neste segmento de automóveis.

Mais barato que seus concorrentes diretos, o 408 tem seu preço mais baixo na versão Allure com câmbio manual partindo de R$ 59.500. Valor abaixo do atual líder da categoria, o Toyota Corolla. Mas a montadora não quer proporcionar apenas um preço mais competitivo, quer também oferecer itens que sejam diferenciais e que pesarão a favor do seu modelo, entre os quais estão: maior conforto e espaço interno, e maior capacidade no porta-malas com 526 litros, além de equipamentos de série interessantes como freios ABS e ESP.

Quanto à motorização o propulsor será um 2.0 Litros versão flex 16V, que pode gerar 151 Cv de potência quando movido a etanol e poderá agregar tanto uma transmissão automática de cinco velocidades quanto vir na configuração de câmbio automático AT8.

Para os últimos seis meses deste ano a montadora prevê que a versão top de linha já estará equipada com um motor 1.6 Litros turbo high pressure, que em conjunto com um câmbio sequencial de seis marchas poderá atingir até 165 Cv de potência. Dividido em três versões o novo 408, como já dito, parte de R$ 59.500 na versão Allure e tem seu preço mais alto na versão Griffe automático que custa R$ 79.900.

Por Mauro Câmara


O novo modelo do Passat, o CC R-Line, já está em processo de encaminhamento às concessionárias da Volkswagen no Brasil. O carro apresenta vários itens de série especiais que proporcionam ao sedã uma aparência mais esportiva, como rodas de liga leve de 18 polegadas e spoilers nas laterais e na parte frontal.

O modelo foi fabricado pela Volkswagen R Gmbh, subsidiária da Volkswagen e especializada em produzir veículos esporte e com características que os tornam únicos e particulares. Segundo o blog da montadora, o volante do novo Passat tem acabamento em couro e algumas funções podem ser acionadas a partir dele, como a mudança de marcha.

Outro atrativo são os bancos de couro que podem ser ajustados de forma elétrica e não manualmente, como na maioria dos carros. Entre outros recursos, a máquina possui visor que exibe quando o pneu do carro está precisando ser calibrado, e ainda, seis airbags, sensor de chuva, câmbio automático, entre outras mordomias. Para adquirir o Passat CC R-Line, o consumidor deverá pagar em torno de R$ 189.130,00.

Por Andrea Gomes


Carros personalizados, grosso modo, parecem ser realidade para poucas pessoas mais endinheiradas ou totalmente apaixonadas por veículos. Contudo, o setor tem procurado abranger todas as possibilidades diferenciadas para seduzir os consumidores, como por exemplo, a montadora Fiat e a nova versão do Uno, que já pode sair da concessionária com visuais bastante inovadores.

Mesmo assim, existem modelos altamente equipados e de alcance restrito. Caso é o Gol Vintage, carro-conceito concebido por designers da Volkswagen do Brasil. Segundo informações da fabricante, 30 unidades serão confeccionadas, o que representa cada ano de existência do Gol.

Cada unidade trará uma numeração, com alguns itens da carroceria pintados à mão. Aliás, a pintura do carro, tais como teto e capô, seguirão a mesma ideia (pintado à mão), acompanhando equipamentos de série especiais e uma guitarra, também produzida limitadamente.

O carro virá equipado com rodas de liga leve aro 16, com pneus 205/45 e motor 1.6 total flex. O preço sugerido ao exemplar é de R$ 52.180,00.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Volkswagen


A Abeiva (Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores) divulgou no dia 4 de fevereiro balanço sobre as vendas de veículos importados no Brasil e constatou uma redução de 28,9% referente ao mês de janeiro desse ano, comparando-se com os dados de dezembro do ano anterior.

Porém, fazendo um paralelo com o mês de janeiro de 2010, o número de vendas foi maior, tendo no primeiro mês de 2011 um aumento de 3,73% para 4,16%. De acordo com José Luiz Gandini, presidente da Abeiva, o número do comparativo entre dezembro e janeiro encontra-se dentro da margem catalogada desde a última década.

A marca líder em vendas de importados é a Kia, detentora de praticamente metade de todos os importados registrados pela Abeiva.

Por Andrea Gomes

Fonte: Abeiva


Foi lançado no Brasil o novo modelo do automóvel da Citroën, trata-se da versão Adventure chamada AirCross. Já a versão não aventureira, o C3 Picasso, chegará ao mercado em breve, provavelmente em abril, e a produção em Porto Real (RJ) já está em processo inicial.

O valor do AirCross é a partir de R$ 53.900,00 e tem diversos recursos como painel contendo bússola e dois inclinômetros, além de GPS integrado e kit viva-voz  Bluetooth com comandos no volante e porta USB. Outro atrativo é o computador de bordo e o piloto automático com regulador e limitador de velocidade, sensor de chuva e muito mais.

Veja mais informações sobre o automóvel no site www.citroen.com.br/aircross e confira o seu vídeo promocional.  

Por Andrea Gomes


Uma das montadoras mais bem posicionadas em todo o mundo, a General Motors (GM) vendeu ao longo do ano passado 8.389.769 veículos automotores em todo o globo terrestre, incremento de 12,2% em comparação à comercialização aproximada de 7,47 milhões realizada em 2009.

O resultado é fruto dos aumentos constatados em cinco dos dez principais mercados por onde atua. No chinês, por exemplo, houve salto de 28,8% entre 2009 e 2010, comportando o local mais interessante para a fabricante. Em seguida figura os Estados Unidos, com crescimento de 6,3% nas vendas, seguido pelo Brasil, com progresso de 10,4%.

O total de unidades comercializadas na China chegou a 2.351.610. Nos Estados Unidos, por outro lado, 2.215.227, e no Brasil, diferentemente, 657.825 veículos automotores. A marca mais expressiva à GM continua a cargo da Chevrolet, seguida pela Opel/Vauxhall, Wuling e, em seguida, pela Buick.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: GM do Brasil (release)


O Brasil deve receber em breve o Porsche Carrera GTS, considerado o exemplar mais esportivo em relação ao modelo 911. Com motor de 408 cavalos de potência, bloco de 3,8 litros e tração traseira, a unidade deverá comportar detalhes exclusivos.

De acordo com informações emitidas pela Quatro Rodas, o Carrera GTS apresenta em seu exterior rodas de cubo central de 19 polegadas na cor preta. No interior do veículo o acabamento será pleiteado no padrão preto Alcântara aos assentos. Também contará com freio de estacionamento e volante de três raios.

Com capacidade de atingir de zero a 100 quilômetros por hora em 4,2 segundos, a velocidade máxima estipulada é de 306 quilômetros horários. O custo estimado ao mercado brasileiro é de R$ 580 mil.

Foto: Andrew Adams Design & Auto

Por Luiz Felipe T. Erdei


Um carro elegante, robusto, que como quase todos os modelos da montadora norte-americana Chrysler conferem status ao seu proprietário. Esse é o novo modelo 300C que deverá chegar ao mercado brasileiro no final deste ano.

Tradicional e famosa por fabricar modelos luxuosos, neste novo 300C a montadora mantém seu estilo clássico e requintado fabricando um carro de desenho sóbrio, equilibrado e acima de tudo elegante. Mas enquanto o Chrysler 300C não chega aqui no Brasil é provável que ele faça suas primeiras aparições públicas no Salão do Automóvel de Detroit que se iniciou no dia 10 e vai até o dia 23 de Janeiro. E para o mercado norte-americano a montadora já divulgou as versões e preços que serão praticados.

O novo Chrysler terá quatro versões e dois tipos de motorização. A versão de entrada contará com propulsor Pentastar V6 e transmissão automática de cinco velocidades, partindo de US$ 27.995. Além da boa potência de 242 CV vários bons itens de série lhe dão bons níveis de segurança e conforto. A segunda versão, o 300 limited utiliza a mesma motorização da anterior e parte de US$ 31.995, contando com outros itens de série que não entram na primeira versão.

Compondo as duas versões finais a diferença está nos motores que nestas versões utilizam conjuntos 5.7 V8 HEMI que geram generosos 363 Cv de potência e podem vir com tração traseira ou integral. O modelo com tração integral sai por US$ 41.145 e com tração traseira US$ 38.995. Os itens de série destas duas versões são os mesmos de um pacote de opcionais, o Luxury Group, que também podem equipar a última versão dos modelos que utilizam o motor Pentastar V6.

Por Mauro Câmara

Fonte: Carro Online


Já apresentado e comentado como o substituto do Mégane, o Renault Fluence agora tem seus preços revelados pela montadora, de acordo com matéria do site Carros IG.

Ele estará a venda a partir de Fevereiro no Brasil mas os interessados em um sedã médio de estilo moderno, linhas levemente arredondadas que lhe conferem um desenho moderno e aerodinâmico, sem deixar de lado a elegância, já podem ir avaliando os equipamentos e os preços de suas duas versões.

O Fluence Dynamique que vem de série com seis airbags, sistema de freios ABS, sensor de chuva, farol de neblina e ar condicionado dual zone entre outros itens tem seu preço em R$ 59.990. Adquirindo o modelo com câmbio CVT, o preço passa a ser de R$ 64.990. E esta versão conta ainda com opcionais como teto solar e bancos de couro.

A segunda verão do modelo, a top de linha Privilége conta com mais itens de série como controle de estabilidade (ESP), controle de tração (ASR), GPS integrado, sensor de estacionamento e som Premium. Assim como o Mégane, estas duas versões do Fluence possuem cartão para acionamento do motor. E isto pode ser feito agora até mesmo do bolso do condutor, pois funciona remotamente.

O propulsor é um 2.0 Flex de 140/142 CV que garante boa potência ao modelo. Segundo a matéria citada este lançamento é uma das grandes expectativas da marca francesa, que espera conseguir uma fatia de 12% do mercado nacional com este belo sedã.

Por Mauro Câmara


Para quem gosta de carros com desenho forte, estética agressiva, esportividade a flor da lataria os novos modelos da Subaru que já estão à venda no mercado brasileiro podem ser ótimas opções.

De acordo com matéria do site G1, que apurou os preços dos novos modelos, os mais novos carros da marca já se encontram à venda, sendo que o modelo esportivo, versão sedã do Impreza WRX STI pode ser encomendado com preço a partir de R$228 mil. O Impreza XV tem seu valor começando a partir de R$75.900, a versão com câmbio manual. Já quando equipado com transmissão automática o preço vai para R$79.900.

Tanto o Impreza XV quanto o Impreza WRX STI são carros que impressionam pela estética elegante, bem acabada de traços retilíneos e alongados que aumentam a sensação de imponência, com todo o conjunto transmitindo um bela imagem de força e potência. E falando em potência os motores que sustentam estes modelos também são bastante interessantes. A motorização do Impreza XV é feita com um propulsor 2.0 16V que produz significativos 160CV de potência.

Já o WRX STI, esportivo que marca presença, principalmente por seu aerofólio de dimensões bastante generosas, tem motor de 2.5 com capacidade de 310 CV de potência que trabalha com uma transmissão de cinco velocidades que vem com opção de marchas manualmente através de borboletas atrás do volante.

Por Mauro Câmara


O Brasil é considerado, atualmente, o 4º país do mundo mais notável na venda de veículos automotores, deixando para trás a Alemanha, que passa a ocupar a 5ª colocação. A comercialização de carros até março deste ano, que ainda tinha a seu favor a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), foi a responsável, parcialmente, para boa colocação no ranking.

O Mercado Comum do Sul (Mercosul) almeja estabelecer uma negociação diferenciada com a União Europeia para o setor, tais como transferência de tecnologia e estímulo à confecção local de automóveis. A primeira reunião oficial será realizada até o final deste mês em Buenos Aires, de acordo com Eduardo Sigal, subsecretário de Integração Econômica da Argentina. Segundo ele, a intenção não é simplesmente entregar aquilo que o bloco faz entre autopeças e carros ao velho continente.

Reportagem do portal de notícias G1 releva que uma oferta mais imponente na esfera automotiva é uma reivindicação da Europa. A tarifa de importação poderá ser eliminada em uma década e meia pelo Mercosul, porém, a proposta deverá ser debatida com o setor privado, conforme palavras de Evandro Didonet, diretor do Departamento de Negociações do Itamaraty.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A crise financeira mundial tem feito os países mais desenvolvidos do globo observarem as nações emergentes obterem conquistas notáveis – como a difundida pelo Brasil. Informações do portal de economia do Estadão registram que, pela primeira vez, a nação liderada por Luiz Inácio Lula da Silva confeccionou, no ano passado, mais veículos de passeios do que os Estados Unidos.

Em números reais, os norte-americanos produziram exatas 2,249 milhões de unidades, enquanto os brasileiros conseguiram germinar 2,576 milhões de automóveis. Em 2008, porém, os EUA fizeram quase 1,7 milhões de carros a mais do que os totalizados no ano passado.

Por outro lado, segundo atestado pelo Estadão, se somados caminhões, ônibus, picapes e utilitários esportivos, os números são bem discrepantes. Enquanto os Estados Unidos produziram mais de 5,7 milhões de unidades, o Brasil atingiu “somente” 3,1 milhões.

A nação chinesa, parceira comercial do Brasil, segue líder no mercado de veículos comerciais, com mais de 10 milhões de unidades confeccionadas em 2009. Em seguida aparece Japão, com 6,862 milhões, e depois Alemanha, com quase 5 milhões.

Saiba mais números aqui.

Por Luiz Felipe T. Erdei





CONTINUE NAVEGANDO: