O setor automobilístico do país foi beneficiado, há alguns meses, pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), ocasião na qual o segmento quebrou recordes de vendas em relação a anos anteriores.

Cledorvino Belini, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), avalia que o baque de 14,6% em abril ante março deverá ser o mesmo já em maio, não somente pelo fim do benefício, mas também pelo aumento de estoques na indústria e nas concessionárias.

Embora exista diminuição na produção e venda de veículos, comerciais leves, caminhões e ônibus, Belini relatou, por meio do portal de economia do Estadão, que o segmento automotivo finalizou o mês passado com elevação em 0,7% em abril ante março deste ano no número de pessoas empregadas. Entretanto, alega que deste ponto em diante, o ritmo de contratações será mais pausado.

Confira outras informações aqui.

Por Luiz Felipe Erdei


O setor de automóveis foi um dos que melhor conquistou resultados expressivos devido à exoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), tanto que a comercialização de carros bateu recordes históricos nos últimos dias de vigência do estímulo. A partir de 1º de abril – e até antes –, porém, envolvidos no segmento passaram a estimar baixa nas vendas.

Cledorvino Belini, novo presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), acredita que as vendas de veículos pelo Brasil deverão reunir, aproximadamente, 280 mil unidades em abril. Em artigo confeccionado pelo portal de economia do Estadão, o líder acredita que foram vendidos cerca de 13,7 mil carros por dia, em abril, abaixo dos 15,3 mil comercializados, diariamente, no terceiro mês deste ano.

Para o transcorrer de 2010, a Anfavea ainda não estimou dados. Pelo andar da carruagem, em 2011 haverá índices negativos em virtude da alta base comparativa conquistada no primeiro trimestre deste ano.

Fonte: Portal de Economia do Estadão

Por Luiz Felipe T. Erdei





CONTINUE NAVEGANDO: