Modelo irá receber novos faróis, com grade frontal e projetores cromados com um novo desenho.

A quarta geração do Honda City que teve seu lançamento feito no ano de 2014, se prepara agora para mais uma reestilização meia-vida. De acordo com informações que foram publicadas em meados deste ano, o modelo da montadora japonesa continua realizando testes avançados no Japão e de acordo com dados divulgados pelo site indiano Car Dekho, o mesmo irá ficar pronto no mês de janeiro do próximo ano.

Sem muitas alterações radicais, o facelift irá se concentrar na parte dianteira do carro, a qual foi inspirada em outro modelo da marca, o Accord e que provavelmente irá receber novos faróis, com grade frontal e projetores cromados com um novo desenho. Além disso tudo, contará com novas rodas de liga leve e também lanternas com lâmpadas em LEDs são muito esperados para essa geração.

Na parte interna do modelo, o sistema multimídia possui uma tela sensível ao toque que permitirá realizar o espelhamento de smartphones, que possuem sistema Apple CarPlay e Android Auto. O modelo que será comercializado para os indianos deverá contar ainda com seis airbags distribuído pelo veículo e bancos de couro nas versões mais caras, tais itens já são se encontram em uso no Honda City vendido no Brasil.

A gama de propulsores continua sem mudanças com a oferta do motor 1.5 i-VTEC, que conta com 16 válvulas, porém o câmbio manual com cinco velocidades deve ser trocado por uma transmissão de seis velocidades, continuando com a opção do câmbio CVT. Alguns rumores circulam a internet sobre a grande possibilidade de o veículo sedã compacta ter um motor 1.8 de 16 válvulas, o mesmo utilizado no HR-V, visto que o Honda Civic teve um aumento em seu valor e acabou se distanciando em preço, porém nenhuma informação oficial foi divulgada sobre o assunto.

Caso essas previsões venham a ser confirmadas, o desembarque do novo Honda City se dará três anos depois do lançamento deste modelo atual, mas um pouco menos de tempo no Brasil, onde o lançamento ocorreu em meados do ano de 2014.

Por Filipe Silva

Honda City 2017

Honda City 2017

Fotos: Divulgação


O modelo continua com as linhas da versão comercializada nos Estados Unidos, porém com motor flex 2.0, que é utilizado no modelo atual e continuará sendo a única opção aqui no Brasil.

Eis que chegou a nova geração do Hyundai Elantra, que foi uma das atrações da montadora no Salão do Automóvel da cidade São Paulo. O veículo chegou no dia 10 de outubro às concessionárias de São Paulo, e as vendas se iniciaram no dia seguinte. Da mesma forma que sempre ocorreu, será necessário realizar o pagamento de um sinal de até por cento do valor total do modelo para que a compra possa ser garantida, sendo que o prazo para ser entregue é de até 30 dias para as unidades iniciais.

Visualmente, o modelo continua com as linhas da versão comercializada nos Estados Unidos, porém com motor flex 2.0, que é utilizado no modelo atual e continuará sendo a única opção aqui no Brasil, o propulsor do sedan possui uma potência de 178 cavalos, porém de acordo com as normas de emissões, passou a oferecer 167 cavalos no modelo ix35. A transmissão automática ainda será de seis marchas, porém não haverá opção de realizar troca manual através daquelas borboletas atrás do volante.

Será vendido em três diferentes versões. Na versão de entrada o modelo contará com retrovisores elétricos aquecidos, airbags frontais, ar-condicionado, travas e vidros elétricos, sistema de som com botões no volante e piloto automático, no valor de R$ 84.990. A opção intermediária, a Special Edition no valor de R$ 103.900, contará com seis airbags, ar-condicionado de duas zonas, sensor de estacionamento traseiro e dianteiro, rodas de liga leve de 16 polegadas, bancos de couro, lanternas traseiras e luzes diurnas de LEDs, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, alerta de ponto cego, comandos no volante e sistema multimídia com GPS.

A opção topo de linha que sai por R$ 114.990 terá em seu pacote de itens o airbag de joelho para o condutor, detector de pontos cegos, faróis de xenônio com assistente de luz alta, controle eletrônico de estabilidade, teto solar elétrico, seletor de modos de condução, espelhos rebatíveis e painel de instrumentos com tela com 4,2”. Além de Controles de estabilidade e tração também estarão no pacote. O modelo será vendido nas cores prata, preta e branca, sem contar a garantia de cinco anos.

Por Filipe Silva

Hyundai Elantra 2017

Hyundai Elantra 2017

Fotos: Divulgação


A Peugeot trouxe no 3008 um ?ar? típico de um SUV, o que é válido tanto na aparência quanto para o comportamento.

Como era mais do que previsto a Peugeot realmente decidiu mostrar no Salão de São Paulo de 2016 uma novidade quentinha recém saída das mãos dos designers franceses da marca. Estamos falando do novíssimo 3008. Para quem não se lembra esse modelo já foi lançado. Na verdade, foi até durante o Salão de Paris que aconteceu a pouco mais de um mês. Já o lançamento do carro, ao menos no Brasil, está previsto para o ano que vem. Bom, vamos a alguns detalhes sobre essa novidade do setor automobilístico.

A Peugeot trouxe (ou implantou) no 3008 um “ar” típico de um SUV, o que é válido tanto na aparência quanto para o comportamento. O modelo apresentou uma evolução em relação a aparência deixando-a mais esportiva. Os parachoques estão significativamente mais largos, a cintura mais alta e rodas maiores. Além disso, ainda vamos encontrar alguns detalhes tais como o uso de cores diferentes entre a carroceria, o teto e as barras. Vamos encontrar também apliques nas saias laterais.

O novo 3008 foi desenvolvido em cima da nova plataforma modular EMP2. São 4,45 m de comprimento, a título de curiosidade são 8 cm a mais do que a geração anterior tinha. A distância entre-eixos tem 2,67m.

Essa “esticada” no modelo permitiu que o 3008 ganhasse em espaço interno. O porta-malas também ganhou nesse aspecto, ao todo temos 520 litros de capacidade. A capacidade anterior possuía 90L a menos. Além disso, de acordo com a fabricante a novidade é 100kg mais leve do que a geração anterior.

Ainda sobre as medias é interessante observar que a altura e a largura permanecem iguais. Ou seja, 1,62m e 1,84 respectivamente. São 22 cm de distância entre o carro e o solo.

Os condutores terão um painel central que possui uma tela com 8 polegadas (sensível ao toque) que conta com diversos apps, Bluetooth, navegação em 3D, controle de ar-condicionado e rádio. O 3008 ainda oferecerá a alternativa de o condutor adquirir um modelo que tenha massageadores nos bancos.

Na Europa a motorização oferecida já é conhecida. Teremos o 1.6 THP com 163 cavalos. Esse mesmo propulsor se encontra presente no Brasil em alguns modelos Peugeot e Citroen. Por aqui a informação é de que 3008 chegará com esse mesmo bloco.

Por Denisson Soares

Peugeot 3008


Modelo combina performance, estilo e segurança.

Esportividade que arranca olhares por onde passa. Esta é a promessa da Chevrolet com o seu novo veículo Cruze Sport6 que combina performance, estilo e segurança.

Neste mês de novembro o Cruze Sport6 estará no Salão do Automóvel em São Paulo, o hatch esportivo para a família.

Apesar da GM estar querendo manter segredo sobre seu novo hatch, no entanto, foi flagrado o carro camuflado de testes em algumas cidades perto da fábrica de São José dos Campos (SP).

O hatch médio já começou a pré-venda no Salão do Automóvel, porém chegará às concessionárias apenas em Dezembro com as versões LT, LTZ e LTZ com kit Hi-Tech.

História do Chevrolet Cruze:

Sua história se inicia em 2012, o Cruze Sport6 é a versão hatch do Chevrolet Cruze (sedã). O modelo veio para substituir o Vectra GT derivado do Vectra Sedã, onde foi encerrada sua produção definitivamente em 2011.

Começou a ser vendido com motor Ecotec 1.8 de 16V e exclusivo câmbio de 6 marchas.

Design:

Investimento na esportividade possui a carroceria 21cm menor que seu irmão sedã. A traseira se destaca com spoiler incorporado e lanternas exclusivas. Os diferenciais do seu design estão na dianteira com para-choques baseados na versão americana RS.

Interior:

Espaço interno mantém as dimensões do Sedã com boa distância para as pernas no banco traseiro. Painel Dual Cockipt e bancos com revestimento Premium. Um item de série do Cruze Sport6 é a elegância interna.

Mecânica:

O motor turbo 1.4 de 153 cv e 24,5 mkgf é a atração principal, abastecimento é o etanol e a combinação da transmissão automática de 6 marchas e além do mais a opção de trocas em sequência. Suspensão com ajuste mais esportivo.

Preço:

Duas versões serão vendidas no Brasil (LT e LTZ). É esperada o início das vendas em Dezembro e início de 2017.

Os preços do LT avaliado em R$ 89.990,00 e o LTZ custando R$ 101.990. Já o LTZ com pacote Hi-Tech poderá ser vendido por R$ 110.990.

O Cruze Sport6 tem sistema start-stop com a função de ligar e religar o motor automaticamente em situações de transito e semáforos.

Integrado com Central Multímidia Mylink II com GPS, comando de voz e compatibilidade com Android e Apple.

Por Marcio Ferraz

Chevrolet Cruze Sport6


Versão Cooper S será vendida pelo valor de R$ 164.950.

A grande e renomada fabricante de veículos automotores Jeep anunciou oficialmente nesta última sexta-feira, dia 19 de agosto de 2016, que a nova geração do Jeep Cabrio será comercializada no Brasil. No primeiro momento o elegante veículo conversível será disponibilizado ao consumidor brasileiro em apenas uma versão, a qual será denominada Cooper S e será comercializada pelo valor de R$ 164.950. Essa única versão do Cabrio sairá de fábrica com o propulsor 2.0 turbo composto por quatro cilindros dispostos em linha, o qual possui a capacidade de produzir uma potência máxima de 192 cavalos. O sistema de transmissão é automático e tem seis velocidades.

Um dos grandes atrativos desse veículo sem sombra de dúvidas é a sua elegante capota que é confeccionada em tecido, para realizar a abertura ou o fechamento dessa capota o sistema de acionamento elétrico gasta apenas 18 segundos, desde que o veículo esteja em movimento, porém com velocidades abaixo dos 30 Km/h. O acionamento dessa capota é bem simples, sendo que basta o condutor fazer o acionamento de um botão que fica localizado nas proximidades do retrovisor interno do carro.

Do mesmo modo que nas demais versões, o Mini Cabrio dessa vez ficou um pouco maior na mudança de geração, haja vista que nessa nova geração o veículo teve o seu comprimento acrescido em 9,8 cm, de modo que o comprimento total dele passou a ser de 3,85 metros. O entre-eixo também foi acrescido em 2,8 cm, enquanto na largura o veículo também ganhou 4,4 cm. Uma parte que poderia também ser contemplada com um aumento no tamanho e não foi é o compartimento porta-malas que continua pequeno e apertado com os seus míseros 160 litros de capacidade.

Dentre os diversos itens de série que a Jeep disponibilizou aos consumidores estão a atrativa central multimídia que possui uma tela avantajada de 8,8 polegadas, ar-condicionado digital, controles de estabilidade e tração, bancos integramente revestidos em couro, sensores de luz, chuva e ré, três modos distintos de condução, head-up display, sistema este que faz a projeção das informações no para-brisa, suspensão com tecnologia adaptiva, bem como controle de velocidade de cruzeiro. Com todos estes atrativos não há como o consumidor brasileiro não se apaixonar por este pequeno notável.

Por Adriano Oliveira

JeepCabrio Cooper S

Jeep Cabrio Cooper S

Fotos: Divulgação


A décima geração do Civic começará a ser comercializada no mercado nacional no dia 25 de agosto.

Não há como negar que o Honda Civic, atualmente, é um dos modelos de veículo automotor mais famosos e desejados do mercado brasileiro, mas a boa fama do carro não são só por conta do seu alto grau de beleza, pois em diversos testes o veículo acaba deixando os seus principais concorrentes para trás.

É nesta perspectiva, que a Honda apresentou oficialmente no dia 20 de julho de 2016, a décima geração do Civic, qual começará a ser comercializada no mercado nacional no próximo dia 25 de agosto. Os principais destaques apontados pela fabricante durante este novo lançamento ficaram por conta do novo propulsor inserido no veículo que é um 1.5 turbo movido a gasolina com capacidade de produzir uma potência máxima de 173 cavalos. Antes mesmo de chegar ao mercado este novo motor da Honda já vem recebendo muitos elogios, tendo em vista que ele conseguiu obter nota máxima nos testes de consumo do Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro, sendo que na categoria de Comparação Relativa, bem como na de Comparação Absoluta Geral o motor conseguiu obter nota A.

Este resultado com certeza irá contribuir sobremaneira para a manutenção do sucesso do Civic no mercado brasileiro, haja vista que os consumidores buscam veículos cada vez mais econômicos. Para conseguir obter essa classificação o Civic Touring conseguiu obter médias de consumo mensuradas em 12 km/l na cidade e 14,6 km/l na estrada, já com relação às emissões de CO2 ficaram registradas a quantidade de 102 gramas por quilômetro rodado.

O novo Civic também será disponibilizado nas versões Sport, EX e EXL, as quais virão equipadas de série com motor 2.0 flex aspirados e com a nova transmissão do modelo CVT que substituiu a transmissão automática de 5 velocidades.

Com relação à autonomia, a versão Sport 2.0 dotada de cambio manual de 6 velocidades obteve médias de 7,1 Km/l na cidade e de 9,3 km/l na estrada quando abastecido com etanol, já quando utilizada a gasolina a autonomia sobe para 10, 2 km/l no ambiente urbano e para 13,4 km/l no ambiente rodoviário, sendo que as emissões de CO2 mensuradas ficaram em 116 g/km.

Já as outras variantes do veículo com motor 2.0 e transmissão CVT conseguiram obter uma autonomia de 7,2 km/l na cidade e 8,9 km/l na estrada quando utilizado o etanol, quando utilizado gasolina essas médias sobem para 10,2 km/l e 13,4 km/l respectivamente, sendo que as emissões e CO2 mesuradas foram de 116 g/km.

Por Adriano Oliveira

Honda Civic 2017

Honda Civic 2017

Fotos: Divulgação


Montadora pretende se colocar no topo da lista dos transportes ecológicos.

Volkswagen informou nesta quinta-feira, dia 16, que irá lançar nos próximos 10 anos mais de 30 modelos de veículos completamente elétricos, como uma tentativa de colocar a montadora no topo da lista dos transportes ecológicos, após ter se envolvido em um escândalo de automóveis onde havia um software que manipulava as emissões de gases de carros movidos a diesel.

A empresa alemã, que conta com diversas marcas em seu grupo, como Audi, Porsche, Lamborghini, Bugatti, Bentley, MAN e Scania, comunicou que tem a intenção de comercializar de 2 a 3 milhões de unidades com o motor alternativo até o ano de 2025.

Segundo a montadora, os veículos elétricos irão representar entre 20 e 25 por cento das vendas globais do VW.

Dentre estes automóveis está o Porsche Mission E, o primeiro veículo que a marca lançará sendo 100% elétrico, o qual será lançado até o ano de 2020 e contará com um investimento de 1 bilhão de euros.

O grupo alemão também vem buscando novas alternativas de transporte, como robotáxis, sob demanda e compartilhamento. No final do mês de maio a empresa multinacional realizou um investimento em uma empresa chamada Gett e espera que o mercado em questão renda uma receita bilionária dentro de 10 anos.

A VW reconheceu que instalou de forma ilegal em cerca de 11 milhões de veículos movidos a diesel um sistema que fazia com que as emissões de poluentes estivessem ajustadas ao máximo permitido, porém, na realidade os propulsores ultrapassavam esse limite.

Devido ao escândalo, a multinacional já reservou 16,2 bilhões de euros para não sofrer com as consequências. Deste valor, serão destinados aos custos judiciais cerca de 7 bilhões.

Nesta semana, a justiça dos Estados Unidos voltou a prorrogar o prazo dado a empresa para informar as propostas de indenização aos consumidores americanos que adquiriram seus veículos com motores a diesel, o prazo agora foi prorrogado para o dia 28 de junho.

O tribunal responsável pelo processo é o de San Francisco e anunciou que aumentou o prazo, o qual findava no dia 21 de junho, pois levou em consideração a índole técnica da proposta diante da complexidade dos processos.

FILIPE R SILVA


Nova geração do carro chega ao país com novo motor e custando cerca de R$ 119 mil.

A montadora japonesa lançou na terça-feira, dia 7 de junho, a nova geração do Toyota Prius no Brasil. O híbrido é o mais vendido do mundo e sua quarta geração chega no mercado brasileiro custando R$ 119.950, pouco a mais que a geração anterior, que era comercializada por R$ 117.610. Na quarta-feira, dia 8, serão iniciadas as vendas do modelo.

O Prius é dos maiores representantes dos “ecologicamente corretos” fabricados pela companhia japonesa. A terceira geração teve apenas 800 unidades vendidas e agora a Toyota vai trabalhar para aumentar mais o mercado.

Dependendo do interesse dos brasileiros será possível uma produção nacional, pois segundo o vice-presidente da Toyota Brasil, Miguel Fonseca, não há uma escala para produzi-lo aqui. O esperado é que este ano sejam vendidas 600 unidades e no próximo ano, 1.100.

Conforme a montadora, o motor 1.8 foi desenhado novamente e gera 98 cv de potência a 5.200 giros e um torque de 14,2 kgfm. Este trabalha em conjunto com um motor elétrico de 72 cv e torque de 16,6 kgfm, que combinados atingem uma potência de 123 cavalos, o câmbio é o CVT.

Com relação ao consumo, houve uma melhora em 10%, sendo de 18,9 km/l em perímetro urbano e na estrada de 17 km/l, fazendo dele o veículo mais econômico do país.

A fabricante informou que a autonomia do veículo pode chegar a 812,7 km dentro da cidade. Utilizando os dois motores, o carro faz de 0 a 100 km/h em 11 segundos.

O automóvel também conta com uma nova plataforma e agora possui a arquitetura global TNGA, que será origem de praticamente metade dos carros da Toyota até o ano de 2020. Suas medidas também sofreram alterações, ficando com 60 mm mais comprido, 20 mm mais baixo e 15 mm mais largo, ficando respectivamente com 1.490 mm, 4.540 mm e 1.760 mm.

Internamente, o espaço também aumentou, sendo 20 mm a mais na largura e 15 mm no comprimento, atingindo 1.490mm e 2.210 mm, respectivamente. O porta-malas agora possui 412 litros e sua abertura teve um aumento de 84 mm na largura. O carro tem suspensão MC na dianteira e na traseira é independente multilink.

FILIPE R SILVA


Montadora deve investir 1,3 bilhão de euros na produção de novos modelos. Veículos serão lançados nos próximos anos e devem aumentar o volume de vendas da marca.

Uma das maiores fabricantes de carros esportivos do mundo, a McLaren, tem planos ambiciosos para os próximos anos. A empresa pretende investir cerca de 1,3 bilhão de euros em pesquisa e desenvolvimento ao longo dos próximos seis anos, com o objetivo de lançar 15 novo produtos. Com isso, a McLaren deverá alcançar a marca de 4.500 a 5.000 unidades vendidas em 2022, um número bem superior ao vendido nos dias atuais. No ano passado, a empresa conseguiu vender 1.654 veículos.

Para este ano, o foco é aumentar as vendas consideravelmente para cerca de 3 mil unidades. Para conseguir estes números, a montadora inglesa, que atua na Fórmula 1 há anos, pretende investir em algumas mudanças em sua plataforma, com o objetivo de melhorar a engenharia de seus automóveis. Uma das grandes mudanças que deverá acontecer é na arquitetura do motor. A empresa poderá seguir a tendência de motores híbridos para seus novos modelos. Ainda não há qualquer informação concreta sobre a mudança do motor V8 atual para um motor V6. De qualquer forma, a McLaren deverá seguir seus traços de design arrojados e bastante esportivos, características marcantes da empresa durante toda sua trajetória no mercado.

A McLaren Automotive, como é conhecido o setor de carros de rua da empresa, dobrou seu valor desde 2013 e espera conseguir o mesmo feito por volta de 2022. A montadora tem como um dos seus objetivos ampliar consideravelmente sua rede de concessionárias em todo mundo, o que deverá aumentar o suporte aos clientes e, consequentemente, as vendas de novas unidades em locais onde a empresa não tinha grande atuação.

Atualmente a empresa conta com 82 pontos de venda em todo mundo. Até o ano de 2022, a fabricante deverá contar com mais de 100 concessionárias. Seja quais forem as metas adotadas para seus novos carros, a empresa visa conseguir um aumento substancial em suas vendas para não ficar estagnada no mercado de carros esportivos de luxo. Montadoras concorrentes, como a BMW, estão investindo cada vez mais em tecnologia em seus automóveis, uma vez que os motores híbridos ganharam força e o conceito de carros semi-autônomos já estão em patamares avançados.

Por William Nascimento


Novo modelo chegou com visual renovado, contudo, para fazer jus ao preço ainda faltam alguns itens.

O Brasil lançou seu primeiro modelo BMW Série 1 em 2004 e se superou, mostrando a quem duvidava de sua competência para produzir uma BMW. Agora, passados dez anos, a empresa alemã produz seus carros em solo brasileiro.

Pouco tempo depois do "hatch" ser mostrado em solo europeu todo reestilizado, o Série 1 começou a ser montado na cidade de Araquari (SC), em março de 2015. Entre o Série 1 nacional e o europeu havia uma pequena diferença, que terminou quando o "nosso" recebeu um visual mais atualizado.

O modelo de entrada logo que começou a ser produzido em Araquari, custava R$ 30 mil a menos do que a nova versão 120i Sport GP. Segundo uma avaliação feita, o valor subiu para R$ 165.960, precinho que assusta.

Primeiras Impressões:

Pagando o preço você tem a garantia de receber um modelo com ar-condicionado, faróis em LED contendo luzes diurnas iguais, central de multimídia com tela de 6,5 polegadas e maior estabilidade.

Ficou excelente, mas para um carro com preço tão exorbitante ficou faltando alguns itens básicos como sensor e câmera de ré, regulação elétrica dos bancos e teto solar.

Em sua nova reestilização, o Série 1 recebeu uma "discreta" mudança em seu visual. Os faróis estão com formato mais requintado, as lanternas (que antes eram quadradas) agora ganharam formas mais horizontais e tomaram a tampa do porta-malas.

Na parte de dentro foram poucas as mudanças. A cabine como sempre continuou com um visual atrativo, com uma excelente posição para dirigir, pois o motorista agora tem os comandos voltados para si. Só uma ressalva: O couro sintético poderia ter uma qualidade melhor.

Conheça alguns concorrentes do Série 1:

  • BMW 120i Sport GP: Preço R$ 165.950
  • Audi A3 1.8 Ambition: Preço R$ 152.990
  • Mercedes-Benz A200: Preço R$ 137.900
  • Volvo V40 T5: Preço R$ 158.950

A BMW deu uma repaginada em seu modelo de entrada para que ele se aproximasse dos demais produtos e por esse motivo o carro que já era bom, agora ficou mais bonito e gostoso de dirigir.

Por Ruth Galvão


Modelo utiliza várias peças do Uno e chega para substituir o Uno Vivace e o Palio Fire.

Neste último sábado, dia 16 de abril de 2016, a renomada fabricante de veículos automotores Fiat deu início à comercialização do Mobi, o mais novo veículo subcompacto da marca. A chegada deste veículo no mercado nacional veio principalmente para substituir o Uno Vivace como modelo de entrada de marca, juntamente com o Palio Fire, que deve ter a fabricação gradualmente descontinuada.

Os preços de lançamento do Mobi variam de R$ 31,9 mil (versão mais básica) a R$ 43,8 mil (versão topo de linha). Este hatch subcompacto que é a mais nova aposta da Fiat possui 3,57 m de comprimento, uma largura de 1,63m, altura de 1,50m e distância entre-eixos de 2,30m.

O Mobi é um pouco menor que o Uno, haja vista que o Uno possui comprimento de 3,81m, largura de 1,67m, altura de 1,49 e distância entre eixos de 2,38m. Com relação à capacidade do compartimento de porta-malas, o compartimento do Mobi possui 235 litros, valor este que representa 55 litros a menos do que o compartimento do Uno.

O propulsor do Mobi é o velho e conhecido 1.0 flex 8v dotado de quatro cilindros, o qual consegue produzir uma potência máxima de 75 cavalos e um torque de 9,8 Kgfm, trabalhando juntamente com um câmbio manual de cinco velocidades. Em termos de comparação, este motor utilizado no Mobi é o mesmo que é comercializado nas versões mais em conta do Uno, mas segundo as notícias dos bastidores da própria fabricante, a empresa já está trabalhando a todo vapor no desenvolvimento de um novo propulsor mais moderno bicombustível de um litro dotado de três cilindros, que deverá ser lançado até o fim deste ano no próprio Uno e depois de algum tempo no Mobi.

Se formos analisar friamente, O Mobi nada mais é do que um irmão mais novo do Uno, uma vez que os dois modelos compartilham várias peças e acessórios, principalmente na parte interna. Ao todo, o Mobi será disponibilizado em quatro versões, sendo estas as seguintes: a Easy (que é a de entrada e custa R$ 31,9 mil), a Easy On (que custa R$ 35,8 mil), a Like On (que custa R$ 42,3 mil) e a versão topo de linha que é a aventureira batizada com o nome de Way, que conforme a configuração escolhida pelo consumidor, possui preços variando de R$ 39,3 mil até R$ 43,8 mil.

Por Adriano Oliveira


Modelo chega às lojas custando entre R$ 99 mil e R$ 179 mil.

Recentemente a Ford divulgou os preços referentes a versão diesel da seu novíssima Ranger 2017, agora foi a vez da empresa divulgar os demais preços da versão 2017 de sua picape, com preços que podem variar em R$ 80.400.

Custando R$ 99.500 em seu lançamento está a Ranger XLS 2.5 Flex e manual 4×2 de cabine dupla. Por R$ 109.900 temos a Ranger XLT 2.5 flex manual 4×2 com cabine dupla. No meio da tabela ainda temos dois modelos com preços mais elevados, por R$ 129.900 e R$ 142.900 respectivamente, trata-se do modelo Ranger XLS 2.2 turbodiesel manual 4×4 com cabine dupla e o Ranger XLS 2.2 turbodiesel A/T 4×4 com cabine dupla.

Fechando a lista como os mais caros da linha Ranger 2017, temos o XLT 3.2 turbodiesel A/T 4×4 por R$ 166.900 e o Limited 3.2 turbodiesel A/T 4×4 com cabine dupla, saindo pelo exorbitante preço de R$ 179.900. Porém, a Ford promete compensar aqueles que comprarem a picape mesmo com o alto valor, visto que a empresa mencionou que a versão 2017 da Ranger é a melhor já feita, pelas melhorias na estrutura e na segurança do automóvel.

Todos os modelos contam com satisfatórios 5 anos de garantia, bem como sete airbags, freios com ABS, ganchos isofix, encostos de cabeça, cinto de segurança e ainda um sistema eletrônico para garantir a tração e a estabilidade da picape.

Aqueles que desejam contar com a versão mais cara e completa da picape, a Limited, contaram com funções exclusivas na série, como alerta de colisão frontal, piloto automático podendo acelerar e frear por meio da distância entre sua picape e o veículo a frente, bem como um sistema para avisar o motorista quando o carro muda de faixa de forma involuntária, vibrando o volante. A versão Limited ainda conta com monitoramento da pressão nos pneus da picape, garantindo segurança máxima para o motorista.

Na motorização da picape não tivemos mudanças, continuando com o bloco 2.5 litros flex, sendo capaz de desenvolver 168/173 cv para gasolina/etanol, o que não deve receber tanta atenção dos consumidores. Quanto aos propulsores turbodiesel, a caixa manual e automática está disponível, em seis velocidade e com a tração 4×4.

Ainda contaremos com mudanças visuais na série, principalmente na grade frontal, que agora conta com um formato de escudo, bem como os faróis, menores. Na versão mais cara, as rodas possuem um novo desenho e a Ford irá oferecer a cor metálica vermelho Toscana nas picapes.

O painel do automóvel também sofreu alterações, visto que as entradas de ar estão diferentes, bem como as 8 polegadas da central multimídia SYNC, novidades nos comandos do ar condicionado da picape e no desenho do volante, que sofreu alterações em comparação às versões anteriores.

Laisa Silva


Em temos de crise econômica, fazer um consórcio de carro é uma boa opção.

A compra de um carro, além de ser o sonho de diversas pessoas, também pode se tornar um pesadelo se não for bem planejada. Um automóvel é um objeto de alto valor econômico, portanto é necessário investimento e poupar dinheiro para a aquisição do mesmo.

Uma das melhores opções, seria poupar o dinheiro para conseguir comprá-lo à vista. No entanto, não costuma ser uma prática tão comum, pois é necessário muito tempo até adquirir o carro.

Outra opção contemplada por quem pretende adquirir esse produto, é o consórcio. Junto com essa opção, também surge o financiamento. É importante saber as diferenças entre essas duas formas de pagamento: o ponto crucial que difere os dois, trata-se de qual sai mais caro e porquê. Os financiamentos costumam ficar mais caros quando a inflação no país está alta, por outro lado, o consórcio não é afetado diretamente por isso, uma vez que não utiliza o dinheiro do banco, sendo um grupo de pessoas que financiam a aquisição do carro.

O consórcio irá funcionar da seguinte maneira: o comprador irá pagar parcelas mensais para um grupo de pessoas. O dinheiro que irá se acumular formará algo que pode ser denominado como caixa coletivo. Dentro de determinado tempo, o dinheiro acumulado será o suficiente para que vários membros do grupo consigam adquirir um carro. Será adquirida uma carta de crédito com o valor e o automóvel será comprado.

Há duas formas para que uma pessoa seja escolhida para adquirir o carro primeiro: a primeira é por sorteio e a segunda por leilão. Na primeira opção a sorte será o fator determinante e da mesma forma que você pode ser o primeiro, existe a possibilidade que sua vez demore para chegar e até lá terá que continuar pagando as parcelas. Na segunda forma, comprará o carro aquele que der um "lance", uma quantia de dinheiro maior para o grupo naquele mês.

Embora o consórcio não tenha juros, ele possui taxas. Deverá ser paga uma taxa de cerca de 1,5% para entrar no grupo. Há também a faixa cobrada pelo fundo de reserva. Esse fundo é muito importante, pois irá manter o consórcio mesmo que alguns membros deixem de pagar a mensalidade corretamente.

Se você tem dificuldades em poupar dinheiro, não precisa de um carro imediatamente e não pretende pagar altos juros, o consórcio pode ser a melhor opção para que você adquira seu automóvel.

Por Isabela Palazzo

Consórcio de carro


Modelo contará com as versões Robust, Trendline, Highline e Cross.

Não há como negar que a Saveiro é uma picape que há bastante tempo vem fazendo muito sucesso no mercado brasileiro, sucesso este que é corroborado com o fato de o modelo, atualmente, possuir o título de vice-líder da categoria das picapes compactas no país. É neste contexto que a Volkswagen fez a apresentação oficial, no dia 16 de março, na cidade de Campinas (SP), da nova linha 2017 da conceituada picape Saveiro.

Nesta apresentação, a Volkswagen fez a apresentação de quatro versões dessa nova Saveiro, sendo que nestas serão utilizadas três tipos de cabines e dois modelos de propulsores.

A nova linha da Saveiro 2017 será disponibilizada com quatro versões sendo elas as seguintes: a Robust, a Trendline, a Highline e a Cross. As principais mudanças que foram feitas nesta nova linha ficarão por conta da inserção de um capô um pouco mais alto, faróis com formato diferenciado e com a presença de um recorte um pouco mais trabalhado nas proximidades da grade dianteira. Para aqueles que forem menos detalhista, estas poucas mudanças feitas podem passar despercebidas, contudo as modificações foram bem pontuais.

Nas versões mais caras a picape acabou ganhando lindos frisos cromados. Os detalhes que são comuns a todas as versões são: o logotipo da Volkswagen, devido ao seu posicionamento, dá a impressão de ter passado por uma projeção para frente, a entrada de ar localizada na parte de baixo foi aumentada, já os faróis de neblina foram projetados com formato de trapézio.

Assim como o que foi feito na principal corrente da Saveiro, a Fiat Strada, a abertura da tampa da caçamba passou a ser realizada através do logotipo da Volkswagen. Na parte interior, a Saveiro foi comtemplada com uma renovação integral em sua cabine, sendo que nesta linha todos os comandos foram distribuídos em posições mais horizontais.

Com relação aos itens de segurança, vale ressaltar que a Saveiro, apesar de ser uma picape compacta, é a única da categoria a ser disponibilizada com a presença do sistema de controle de estabilidade, contudo somente na versão topo de linha que é a Cross.

Para aqueles que gostaram deste lançamento, vale a pena conferi-lo de perto, os preços da linha Saveiro 2017 partem de R$ 43.530 e podem chegar até R$ 69.250, de acordo com a versão escolhida.

Por Adriano Oliveira

Volks Saveiro 2017

Volks Saveiro 2017

Fotos: Divulgação


Pacote TRD não está disponível no Brasil.

A novidade automobilística apresentada pela Toyota recentemente é a nova versão do Toyota SW4 2016, que vem repaginada com novidade no Exterior. A novidade é o pacote TRD Esportivo e foi apresentada na Tailândia. Essa é a terceira geração do SUV que deixa a hereditariedade da pick-up e passa a ter visual próprio bem diferente da versão anterior comercializada 11 anos atrás.

A nova versão do SW4 foi desenvolvida nas fábricas da Argentina e chega ao Brasil com itens de série como: abertura elétrica dos porta-malas, regulagem elétrica no banco do motorista, ar condicionado digital, câmera de ré, central multimídia com tela de 7 polegadas para o GPS e TV Digital, banco de couro, vidros e trava elétrica, airbags laterais e frontais, além de controle de estabilidade e tração.

A mecânica do carro tem mudança no motor, que antes era 2.7 flex e passa a ter o novo v6 de quatro litros à gasolina, com potência de 238 cv e 38,3 kgfm. A versão a diesel conta com motor 2.8 com quatro cilindros, o mesmo utilizado no lançamento da Hilux em 2015, capaz de atingir potência de até 117 cv e 45,9 kgfm.

O carro será vendido nas versões de 5 e 7 lugares.

De acordo com as estimativas da montadora, o número de venda deve chegar a variar entre 8 mil e 9 mil unidades no primeiro ano, sendo 75% das vendas referente à versão com 7 lugares a diesel.

O novo design também é uma forte característica do novo modelo, a começar pelos faróis mais estreitos acompanhados de luzes de LED. As lanternas traseiras do carro ficaram mais finas e possuem barra cromada, que liga as duas lanternas. No interior é possível notar algumas características do modelo Corola (da mesma marca) no relógio digital, na alavanca do câmbio e nos comandos do ar condicionado. Já o painel de instrumentos do SW4 mantém a iluminação azul clara, também marca do Corolla. O SW4 ganhou 9 cm na lateral e mais 2 cm de largura. O chassi do carro também passou por renovação que agora ganham aços de maior resistência e a carroceria passa a ser 20% mais rígida.

Por Jaime Pargan


O modelo tem como proposta inicial atrair o público que deseja maior desempenho e se tonar concorrente direta da Dodge Ram.

A montadora Fiat lidera o ranking de picapes com o modelo Strada, lançado em 1998. No entanto, muitos associam a marca a carros de menor porte e com bom custo benefício, como, por exemplo, os modelos Uno e Palio. Para mudar essa situação, a montadora anunciou seu novo modelo de picape, a Fiat Toro.

O modelo tem como proposta inicial atrair o público que deseja maior desempenho e se tonar concorrente direta da Dodge Ram, uma das mais poderosas picapes do mundo.

Segundo o diretor de produto Carlos Eugênio Dutra, o objetivo da Fiat é atrair os amantes de picapes em geral e donos de automóveis convencionais como sedãs, hatches e SUVs de médio porte. Em resumo, a montadora quer induzir o cliente a realizar a troca de outros segmentos pelo modelo Toro.

Para realizar isso, a empresa garante elementos dos segmentos SUV e de sedans em seu novo modelo de picape. Vale lembrar, que a nova picape intermediária possui diversas semelhanças com o Jeep Renagade, sendo a principal a base com estrutura monobloco de alta resistência, que garante maior segurança e conforto durante o percurso.

Ao contrário do modelo Strada, a picape será comercializada como um veículo de passeio, que lida bem com terrenos asfaltados e pode ser utilizada durante o fim de semana para visitar lugares com estradas de terra, como sítios e chácaras, por exemplo.

Sua traseira apresentou grandes inovações, como a abertura lateral de duas portas na caçamba. Vale ressaltar, que essa tecnologia era inédita no Brasil até então. Além disso, o modelo pode transportar até uma tonelada de carga, tendo capacidade de 820 litros.

O design externo não decepciona, já que possui inspiração no Jeep Cherokee. Robusto e com detalhes ousados o veículo atrai olhares por onde passa.

Controle de tração integral, suspensão independente na traseira do veículo e direção são itens de série no modelo. Esse é mais um ponto positivo para o modelo, já que algumas correntes não oferecem esses elementos em todas as versões.

Para garantir todo conforto e comodidade que o cliente merece, é possível ativar e refrigerar o veículo a distancia por meio do ar-condicionado, o que é útil para evitar o calor mesmo após a picape ter passado horas sob o sol.

A picape conta com versões distintas, sendo: a versão essencial Freedom 1.8 – Flex, com preço de R$ 76,5 mil; a série de especial de lançamento Toro Opening Edition 1.8, que sai por R$ 84,4 mil e Freedom 2.0 a Diesel, com opção de tração nas em duas rodas ou integral, que custará R$ 93,9 mil e R$ 101,9 mil, respectivamente.

Já a versão topo de linha Volcano 2.0 traz em seu interior propulsor 2.0 turbodiesel, que exerce potência máxima de 170 cv e câmbio automático de 9 velocidades. Em relação ao consumo de combustível nenhum dado foi mencionado.

Essa versão também conta com acentos e volante revestido por couro sintético, central multimídia com tela sensível ao toque de 5 polegadas e câmera de ré. O preço da versão Volcano é de R$ 116,5 mil.

Por Wendel George Peripato

Fiat Toro

Fiat Toro

Fotos: Divulgação


Novo modelo herdou o nome do antigo veículo da Fiat e irá tentar reviver o sucesso conquistado pelo mesmo na década de 90.

Foi anunciado pela renomada fabricante de veículos automotores Fiat que o conceito apresentado no Salão de Istambul, evento ocorrido no mês de maio deste ano, será batizado com o nome de Tipo.

Conforme foi revelado pela fabricante, este veículo será um sedan compacto que será comercializado em âmbito mundial, sendo que inicialmente ele será comercializado em 40 países da Europa e do Oriente Médio. Na Itália, a empresa já garantiu que as vendas irão iniciar no mês de dezembro ainda deste ano.

Como herdou este nome de sucesso, este novo veículo da Fiat irá tentar reviver o icônico sucesso conquistado pela primeira versão do Tipo comercializada na década de 90. A diferença entre estas duas versões é que no modelo da década de 90 o veículo era um hatch médio, contudo nesta nova versão 2015 ele será um sedan compacto, com porte similar ao do Linea.

Na Europa, este novo Tipo será comercializado com duas versões equipadas com propulsores turbodiesel e outras duas versões com propulsores movidos a gasolina, a potência máxima que estes motores irão oferecer ao carro irá ter uma variação entre 95 e 120 cavalos, por lá os consumidores poderão escolher a transmissão automática ou manual.

O mais curioso é que na Turquia a Fiat optou denominar este três-volumes, o qual possui 4,54 m de comprimento e 2,64 m de entre eixos, de Egea.

Após ser consultada a respeito da possibilidade dessa novidade ser comercializada aqui no mercado brasileiro, a Fiat deixou bastante claro que, até o presente momento, não possui nenhuma intenção de inseri-la no mercado nacional, o que é uma pena, haja vista que o Tipo da década de 90 foi um dos maiores sucessos de vendas da empresa nos anos 1990.

Então, neste primeiro momento, apesar da notícia não ser das melhores para os consumidores brasileiros, a expectativa é que a Fiat, no futuro, possa rever o seu posicionamento e inserir esta novidade também aqui no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira

Fiat Tipo

Fiat Tipo

Fotos: Divulgação


Montadoras Ford e Honda anunciaram alta nos preços de alguns de seus modelos.

Após um grande empurrão por parte da tão famosa crise, cerca de 74% das empresas afirmam que seu impacto ainda não foi superado. Grande parte da perca se relaciona à perda de investimentos, falta de demanda e acesso ao crédito.

A população em si consegue sentir na pele tal situação, em que 90% destes são ricos, escolarizados, e moradores de grandes cidades ou metrópoles.

A percepção populacional ocorre, segundo argumentos dos mesmos, devido ao aumento de preços de produtos e serviços, ou inflação, mencionado por 56%. E os demais se dividem entre argumentos que sugerem como culpada a corrupção, elevação de juros, falta de emprego, e aumento do preço do dólar.

Supera-se com grande luta, uma barreira implícita de 2 milhões de veículos vendidos este ano, causando pânico em boa parte desta área do mercado. De janeiro a setembro, foram registrados cerca de 1,95 milhão de automóveis, tanto comerciais leves, caminhões e ônibus, o que significa um decréscimo nas vendas de 22,6% em comparação com 2,5 milhões de unidades emplacadas nos mesmos nove meses de 2014.

Novidades na crise surgem com contraste em relação a outros mercados. Como já estamos acostumados com o sistema "Eu os ajudo a sair da crise que criei" devemos nos conter na hora de escolher privilégios, luxos e, é claro, marcas.

Os sites das empresas Ford e Honda divulgam preços de novos modelos de automóveis. E com todos os comércios abaixando seus preços, disponibilizando descontos, cortando taxas, nos deparamos com um leve, mas considerável aumento.

Com o susto (ou não), é explícito que existem empresas que agem como tanques de guerra, ignorando completamente a ausência de compras deste porte, ou provocando aqueles que não hesitam em investir em algo tão útil, ou importante como o ego, ou o carro mesmo.

Veja abaixo uma lista de preços feita pelo site Exame.com:

FORD:

– Ka:

  • SE 1.0 – R$ 40.590 (antes, R$ 39.390);
  • SE Plus 1.0 – R$ 42.690 (antes, R$ 41.390);
  • SEL 1.0 – R$ 46.290 (antes, R$ 44.490);
  • SE 1.5 – R$ 44.490 (antes, R$ 43.090);
  • SE Plus 1.5 – R$ 46.590 (antes, R$ 45.190);
  • SEL 1.5 – R$ 50.190 (antes, R$ 48.190).

– Ka+:

  • SE 1.0 – R$ 43.590 (antes, R$ 42.390);
  • SE Plus 1.0 – R$ 45.690 (antes, R$ 44.490);
  • SEL 1.0 – R$ 49.290 (antes, R$ 47.490);
  • SE 1.5 – R$ 47.490 (antes, R$ 46.090);
  • SE Plus 1.5 – R$ 49.590 (antes, R$ 48.190);
  • SEL 1.5 – R$ 53.190 (antes, R$ 51.190).

– Fiesta:

  • S 1.5 – R$ 47.990 (antes, R$ 46.790);
  • SE 1.5 – R$ 52.090 (antes, R$ 50.890);
  • SE 1.6 – R$ 55.090 (antes, R$ 53.890);
  • SE 1.6 Powershift – R$ 59.590 (antes, R$ 58.390);
  • Sport 1.6 – R$ 61.390 (antes, R$ 60.190);
  • Titanium 1.6 Powershift – R$ 66.490 (antes, R$ 65.290).

– Fiesta Sedan:

  • SE 1.6 – R$ 58.790 (antes, R$ 55.790);
  • SE 1.6 Powershift – R$ 63.290 (antes, R$ 62.290);
  • SE Plus 1.6 Powershift – R$ 64.990;
  • Titanium 1.6 Powershift – R$ 70.790 (antes, R$ 69.790);
  • Titanium Plus 1.6 Powershift – R$ 73.790.

– Focus:

  • SE 1.6 – R$ 69.900;
  • SE Plus 1.6 – R$ 73.900 (antes, R$ 71.900);
  • SE Plus 2.0 Powershift – R$ 80.900 (antes, R$ 78.900);
  • Titanium 2.0 Powershift – R$ 88.900 (antes, R$ 86.900);
  • Titanium Plus 2.0 Powershift – R$ 97.900 (antes, R$ 95.900).

– Focus Fastback:

  • SE 2.0 Powershift – R$ 81.900 (antes, R$ 77.900);
  • Titanium 2.0 Powershift – R$ 89.900 (antes, R$ 87.900);
  • Titanium Plus 2.0 Powershift – R$ 98.900 (antes, R$ 98.900).

HONDA:

– Fit:

  • DX manual – R$ 52.700 (antes, R$ 51.600);
  • DX CVT – R$ 57.900 (antes, R$ 56.600);
  • LX manual – R$ 57.700 (antes, R$ 55.900);
  • LX CVT – R$ 62.900 (antes, R$ 60.800);
  • EX CVT – R$ 67.900 (antes, R$ 65.900);
  • EXL CVT – R$ 70.900 (antes, R$ 68.900).

– City:

  • DX manual – R$ 55.300 (antes, R$ 53.900);
  • LX CVT – R$ 64.900 (antes, R$ 63.400);
  • EX CVT – R$ 69.000 (antes, R$ 67.700);
  • EXL CVT – R$ 72.700 (antes, R$ 70.900).

– Civic:

  • LXS manual – R$ 73.000 (antes, R$ 71.900);
  • LXS CVT – R$ 76.000 (antes, R$ 74.900);
  • LXR – R$ 80.700 (antes, R$ 79.400);
  • EXR – R$ 90.700 (antes, R$ 89.400).

– HR-V:

  • LX manual – R$ 73.700 (antes, R$ 71.900);
  • LX CVT – R$ 79.700 (antes, R$ 77.400);
  • EX CVT – R$ 84.700 (antes, R$ 82.400);
  • EXL CVT – R$ 92.900 (antes, R$ 90.700).

– CR-V:

  • EXL 4WD – R$ 136.900 (antes, R$ 134.900).

Por Caio Nunes Estima Magalhães

Ford Ka 2015

Honda Fit 2015

Fotos: Divulgação


Modelo passou por sua primeira reestilização e ganhou novo design e novos itens.

Três anos após o seu lançamento, o Hyundai HB20 ganha sua primeira renovação. O hatch compacto ganhou a sua reestilização e várias outras mudanças, mas essas mudanças variam conforme e versão. Visualmente, foi reformulado baseado no conceito Escultura Fluida 2.0, adotada pela marca a nível global e que traz um maior refinamento nas formas e no acabamento.

Principal mudança: dianteira – o carro uma nova grade, em formato hexagonal e acabamento cromado. Para-choques traseiro e dianteiro também ganharam um novo desenho.

O modelo já vem com luzes diurnas de LED e as lanternas também passaram por mudanças. O seu interior ganhou bancos com novos tecidos.

O preço do compacto parte de R$ 38.995, valor que vai aumentando conforme a versão, assim como os principais itens.

Veja os valores e principais itens de cada versão:

– Comfort 1.0 – R$ 38.995:

Rodas 14 polegadas, computador de bordo, direção hidráulica, ar-condicionado, travas e vidros dianteiros elétricos, volante multifuncional, faróis de máscara negra, entre outros.

– Comfort Plus 1.0 – R$ 42.595:

Rodas 15 polegadas, alarme, alerta de afivelamento de cinto de segurança, vidros traseiros elétricos, retrovisores com comando elétrico, travamento automático das portas, luzes indicadoras de direção.

– Comfort Style 1.0 – R$ 46.345:

Rodas de liga-leve de 15 polegadas, chave canivete, faróis de neblina, volante com ajuste de altura e profundidade, iluminação no porta-malas, lanternas clear type.

– Comfort Plus 1.6 – R$ R$ 48.745:

Tem os mesmos itens do modelo 1.0, menos o câmbio automático de seis marchas:

– Comfort Plus 1.6 Automática – R$ 52.745:

Tem os mesmos itens da 1.6, menos o câmbio automático de seis marchas.

– Comfort Style 1.6 – R$ 51.845:

Tem os mesmos itens da 1.0, menos o câmbio automático de seis marchas.

– Comfort Style 1.6 Automática – R$ 55.845:

Tem os mesmos itens da 1.6, menos o câmbio automático de seis marchas.

– Premium Automática 1.6 – R$ 59.445:

Ar digital, volante e manopla do câmbio de couro, sensor de estacionamento traseiro, alarme volumétrico, maçanetas e frisos cromados,  faróis com luzes diurnas de LED, sensor crepuscular.

Por Elia Macedo

Novo Hyundai HB20

Novo Hyundai HB20

Fotos: Divulgação


Novo modelo foi apresentado na Europa com duas opções de motores, um de 2.4 litros e outro de 2.8 litros D-4D. O destaque fica por conta do interior mais espaçoso e confortável.

A nova geração da Toyota Hilux foi apresentada na Europa. O modelo europeu não traz grandes mudanças em relação à versão apresenta ao mercado tailandês e outros mercados da Ásia – Pacífico. A nova picape foi melhorada em diferentes aspectos, seis para ser mais preciso: visual, conforto, segurança, durabilidade, capacidade e custo de propriedade.

O destaque fica por conta do interior mais espaçoso e confortável, em relação ao modelo anterior. Trata-se de uma picape que alia a praticidade e funcionalidade de um Crossover com vibração de um carro de passeio. A nova Hilux é uma picape que apresenta uma estrutura de alta resistência, bonita e que oferece uma linha de itens de série de impressionar. Entre eles estão os freios ABS e EBD, o controle de oscilação de trailer, central multimídia e outros.

A Toyota apostou em reforços na estrutura, no aumento das dimensões e também na capacidade de carga que passou a 1.240 kg na caçamba e 3.200 kg rebocados. A picape se comporta bem em diferentes terrenos, principalmente os acidentados, por conta do controle ativo de tração, que ajuda em decidas e subidas. O assistente de partida é ideal para superfícies inclinadas.

O modelo se assemelha às capacidades 4×4 do Land Cruiser, sobretudo por conta do novo chassi. Já o interior é mais amplo, sofisticado e apresenta mais recursos. O destaque fica por conta da tela central sensível ao toque, que apresenta diferentes recursos multimídia e a segunda tela de LCD, disposta no painel de instrumentos, tem a unção de computador de bordo.

Entre as opções de motores para o mercado europeu estão um de 2.4 litros e outro de 2.8 litros D-4D. Os dois são turbodiesel e considerados os mais econômicos do segmento categoria, de acordo com a marca. O de 2.4 rende até 150 cavalos e 40,8 kgfm e o segundo 177 cavalos e 45,9 kgfm. O lançamento deve chegar ao Brasil em 2016, mas importado. 

Por Ana Rosa Martins Rocha

Nova Hilux

Nova Hilux

Nova Hilux

Fotos: Divulgação


Modelo com câmbio manual está à venda por R$ 39,9 mil. Alguns itens foram retirados ou modificados no modelo.

A Kia colocou à disposição da população o seu Picanto que agora apresenta um câmbio manual e também está saindo pelo preço de R$ 39,9 mil.

Esse modelo foi criado com o objetivo de disputar direto com demais hatches compactos que existem no mercado e que ao mesmo tempo apresentam um câmbio manual de exatamente 5 marchas e um motor de 1.0 flex com exatamente três cilindros.

A Kia não possui somente esse tipo de Picanto, pelo contrário, ainda tem um modelo que vem importado do continente asiático, precisamente da Coreia do Sul, com uma configuração automática de 4 marchas e por um preço na marca de R$ 46,9 mil.

Nesses dois modelos descritos acima podemos deixar o câmbio de lado, e mesmo assim temos um motor de tricilíndrico 12v que ainda é bicombustível para 1 litro e com um torque de 10 kgfm (idêntico ao utilizado em outro modelo, o famoso Hyundai HB20) e com uma potência de 80cv.

Agora com relação a esse modelo que está saindo por R$ 39,9 mil a Kia realizou alguma alteração direta?

O que podemos notar é que alguns itens foram retirados ou modificados, como vemos direto com a alteração na transmissão automática e temos a opção de que as rodas de aço ficaram no lugar das rodas de liga leve.  Esse modelo apresenta uma entrada com um ajuste manual (em vez de elétrica) diretamente para os retrovisores, da mesma forma que os vidros traseiros não são mais elétricos e sim agora eles funcionam de forma manual.

Isso significa que esse modelo perdeu muitas funcionalidades e não tenho mais nenhum conforto? Pelo contrário, o veículo conta ainda com itens que garantem o conforto do motorista e também dos passageiros, como uma direção que apresenta assistência de porte elétrico, um ar-condicionado, mais vidros dianteiros que também são elétricos, um sistema de som com um comando direto no volante, as travas são elétricas e ainda por último temos um volante que é revestido em couro.

Por Fernanda de Godoi

Kia Picanto

Foto: Divulgação


No Brasil, alguns modelos tiveram redução e outros, alta nos preços.

Na última quinta-feira (dia 13) a Volkswagen do Brasil anunciou uma mudança na tabela de preços para o seu modelo de picape Amarok. A mudança na versão S cabine simples de entrada foi uma variação de R$ 105.990 anteriores para o novo preço de R$ 106.990, um aumento de R$ 1.000 no preço. No modelo S com cabine dupla, ao contrário, houve uma queda de R$ 2.000, variando do preço inicial de R$ 111.990 para R$ 113.990.

Outro modelo que sofreu redução de preços foi o SE cabine dupla, que agora está custando R$ 120.190. Antes o preço do modelo era de R$ R$ 123.190, uma redução também de R$ 2.000. Porém somente esse modelo teve redução nos preços. Todos os outros modelos sofreram elevação de preços. A Amarok Trendline cabine dupla, por exemplo, teve um salto de preço de R$ 132.040 para os atuais R$ 135.990. O mesmo modelo, quando equipado com câmbio automático passou a ter um custo de R$ 140.990, aumento considerável frente ao anterior de R$ 136.040.

As mudanças no preço também chegaram à versão especial da linha, denominada Dark Label. A versão que antes saía pelo preço de R$ 142.690, subiu para o preço atual de R$ 147.990. A opção topo de linha, a Highline com cabine dupla, passou do preço anterior de R$ 156.990, para os atuais R$ 158.990.

Os novos preços já estão disponíveis no site oficial da empresa. Porém, a montadora reafirma que os preços são sugestões e que podem sofrer alteração de acordo com a concessionária que o cliente escolher (são mais de 600 espalhadas por todo o país), independentemente de onde morem. A Volkswagen lembra ainda, que os consumidores têm a opção da escolha da localidade da compra, e que as concessionárias estão vedadas de recusá-las, independentemente da sua área geográfica de atuação.

Por Patrícia Generoso

Volkswagen Amarok 2015

Volkswagen Amarok 2015

Fotos: Divulgação


Novo modelo com motor 1.0 TSI será comercializado por preços que partem de R$ 43.490,00.

A Volkswagen trouxe ao Brasil o seu novo motor 1.0 TSI que antes era encontrado somente nos modelos mais caros, mas que agora está disponível também no compacto Up!, da marca alemã, com preço a partir dos R$ 43.490,00.

O mercado de automóveis não está aquecido no Brasil e todo lançamento acaba não tendo grande aceitação, independente de ser ou não um lançamento que agrade o consumidor que no momento, não quer ver novas dívidas, mas o Up! TSI chega para mostrar que a combinação turbo e injeção direta de combustível agora não é mais uma exclusividade dos modelos mais caros do mercado.

E a Volkswagen está atenta à crise do mercado, tanto que o Up! TSI não traz para o consumidor apenas uma performance melhor, mas também oferece maior economia!

O Up!, com seus 105 cv e 16,8 kgfm a partir dos 1.500 rpm, oferece uma ótima potência, tendo sua agilidade ampliada e já é apontado inclusive, como uma nova era dentro da VW. E o Up! TSI vai contar com uma série especial, a "Speed Up!", totalmente personalizada, vem com motor TSI que é fabricado em São Paulo, na fábrica da cidade de São Carlos e este modelo vai custar R$ 49.990,00. Mas como toda melhoria tem seu preço, com o Up! não vai ser diferente e cada versão terá um acréscimo no preço final de R$ 3.100,00.

O novo motor Up! TSI é uma novidade exclusiva para os brasileiros, não sendo comercializado na Europa. Com gasolina entrega 101 cv e com etanol 105 cv. Todo feito em alumínio, conta com blocos de 3 cilindros e pesa 13,3 kg. A pressão interna chega a 250bar e as bielas, apesar de estarem menores, ficaram bem mais resistentes.

E para evitar um possível atrito entre as bielas e o óleo no fundo, o propulsor agora conta com um protetor, localizado entre o cárter e o eixo de manivelas.

Confira as versões do Volkswagen Up! TSI e os respectivos preços:

– Versão Move Up! TSI: R$ 43.490,00;

– Versão High Up! TSI: R$ 48.040,00;

– Versão Black/White/Red Up! TSI: R$ 48.690,00;

– Versão Cross Up! TSI: R$ 47.030,00;

– Versão Speed Up! TSI: R$ 49.990,00.

Por Russel

Volkswagen Up TSI

Volkswagen Up TSI

Fotos: Divulgação


Versão Comfortline do Jetta será fabricada na unidade de São José dos Campos (SP) da montadora.

Finalmente, a Volkswagen do Brasil fez o anúncio oficial, no dia 6 de julho de 2015, a respeito da chegada, nas concessionárias de todo o país, do mais novo sedan médio da montadora que será fabricado no país, o Jetta. Esta versão nacionalizada do Jetta será fabricada na unidade de São José dos Campos (SP) da Volkswagen, no caso só uma das versões deste carrão será fabricada aqui no país que será a Comfortline, a qual será comercializada com valor inicial sugerido de R$ 74.730.

Para aqueles que gostaram dessa novidade, este veículo chegará às concessionárias de todo o país equipado com um propulsor de 2 litros MPI flex de 116/120 cavalos de potência e um torque de 17,7 Kgfm quando abastecido com gasolina e de 18,4 Kgfm quando abastecido com etanol, além disso, o câmbio será o automático Tiptronic modelo AQ250 de seis marchas.

Este veículo com estas configurações já estava sendo fabricado na unidade do ABC paulista da empresa desde o início do ano de 2015, porém somente agora começará a ser distribuído nas concessionárias da Volkswagen de todo o país. Este novo Jetta também será ofertado aos consumidores em duas outras versões, contudo estas serão importadas do México que serão as versões Trendline que é a versão mais básica deste veículo e terá preço sugerido a partir de R$ 70.690 e a versão Highline que é a topo de linha com todos os opcionais e será comercializado com valor a partir de R$ 94.930, esta versão chegará às concessionárias dotada de um propulsor 2.0 TSi turbo, com injeção de gasolina direta, este motor terá a capacidade de produzir uma potência total de 211 cavalos e um torque de 28,6 Kgfm, ela virá com um câmbio do modelo DSG com dupla embreagem e com seis marchas.

Esta nova geração do Jetta será mais uma aposta da Volkswagen, uma vez que segundo as estatísticas da Fenabrave o Jetta ocupa, no momento, apenas a quinta posição no seu segmento com o total de 4.498 veículos emplacados no primeiro semestre de 2015. O campeão de vendas e concorrente do Jetta é o Toyota Corolla que teve cerca de 32 mil unidades comercializadas no mesmo período mencionado acima.

Por Adriano Oliveira

Volkswagen Jetta no Brasil

Volkswagen Jetta no Brasil

Fotos: Divulgação


Novo modelo será produzido na fábrica da Hyundai localizada na cidade de Anápolis (GO) e tem preço inicial sugerido de R$ 69.990.

A fabricante Hyundai anunciou nesta segunda-feira (6) uma nova versão do Tucson Flex, o qual é sucesso de vendas no segmento Compact SUV. O modelo será produzido na fábrica da Hyundai na cidade de Anápolis, interior de Goiás.  

O modelo crossover possui motor 2.0 flex, de 16 válvulas e quatro cilindros, que gera 142 cv de potência máxima se bastecido a gasolina e 146 cv se abastecido a etanol. A versão também conta com câmbio automático de quatro velocidades.

A versão possui direção hidráulica progressiva, que é capaz de reduzir o esforço do motorista ao realizar manobras. O modelo conta também com suspensão dianteira McPherson e traseira dual link.

O Tucson Flex vem com itens de série, como o ar condicionado digital, faróis de neblina, sistema de frenagem ABS com EBD, câmera de ré, direção hidráulica, airbag (para o motorista e passageiro), trio elétrico (travas, vidros e retrovisores com acionamento elétrico), entre outros itens.

O utilitário é capaz de trafegar em qualquer terreno, seja ele asfaltado ou não. Além disso, o modelo conta com um excelente espaço interno, ideal para quem gosta de levar bastante bagagem. O porta-malas é capaz de armazenar 644 litros, o que dele o maior do segmento.

O modelo Hyundai Tucson Flex conta com garantia de cinco anos, sem que haja limite de quilometragem. Além disso, durante o primeiro ano de uso o cliente poderá solicitar assistência 24 horas da montadora, em todo território nacional.

Os portadores de necessidades especiais que adquirirem o modelo serão isentos de pagar o IPI (Imposto sobre produtos industrializados) e ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços). Além disso, os mesmos serão isentos da taxa de IOF, em caso de financiamento e taxa do IPVA durante o emplacamento e licença do veículo.

O modelo deve chegar às concessionárias com preço sugerido de R$ 69.990, abaixo dos R$ 70.000 impostos pelo governo, já que o modelo pode ser adaptado para os portadores de necessidades especiais. Se considerarmos o preço da versão GLS – vendido a R$ 77.990 – a nova versão terá o melhor custo beneficio.

Por Wendel George Peripato

Hyundai Tucson Flex

Hyundai Tucson Flex

Fotos: Divulgação


Novo modelo será comercializado no mercado indiano e está sendo analisada a possibilidade de ser vendido também no Brasil.

Apesar de já ser conhecido na China com o nome de iX25, o veículo compacto da Hyundai agora assumiu o nome de Creta, a fim de conquistar outros mercados, sendo que ele irá começar pelo mercado indiano. Segundo as notícias de bastidores, a fabricante do veículo, a Hyundai, vem analisando com bastante carinho a possibilidade de fazer a importação deste veículo também para o mercado brasileiro.

A escolha do nome Creta não foi por acaso, uma vez que este é o nome da maior ilha da Grécia, este veículo foi projetado com uma adaptação especial para destiná-lo ao mercado indiano, por lá esta novidade da Hyundai irá concorrer com outros veículos que já são velhos conhecidos por aqui, tais como, Renault Duster, Ford Eco Sport, exceção feita ao Nissan Terrano.

Esta versão do Creta lançada na Índia em suma não difere muito do modelo Chinês. Conforme a versão do Creta escolhida pelo cliente, este carro já vem de série com rodas no tamanho 17 polegadas, luzes diurnas de LED, central de multimídia com navegador no tamanho de cinco polegadas, bancos revestidos em couro com aquecimento, bem como seis airbags. Diante dessas especificações deu para perceber que este veículo é realmente recheado de acessórios.

O lançamento oficial deste veículo está marcado para ocorrer oficialmente no dia 21 de julho do ano de 2015. O Creta poderá ter como propulsor um motor 1.6 movido a gasolina, o qual terá a capacidade de desenvolver um potência de 123 cavalos, ainda este carro terá duas versões de motores movidos à Diesel, sendo uma aspirada 1.4 e a outra turbo 1.6, as quais terão a capacidade de desenvolver uma potência máxima de 128 cavalos. Exceto a versão com motor 1.6 movido a diesel que terá o câmbio automático com a presença de seis marchas, as demais versões deste veículo serão equipadas com um câmbio manual de seis marchas.

Para fazer a importação deste veículo aqui para o Brasil a Hyundai do Brasil quer primeiro ter certeza se irá ser vantajosa a ampliação da unidade da empresa que fica na cidade de Piracicaba (SP), a qual, atualmente, dedica-se na produção exclusiva da linha do conhecido HB20.  

Por Adriano Oliveira

Hyundai Creta

Hyundai Creta

Fotos: Divulgação


Recuo foi de 6,6% nos últimos 12 meses até maio. O valor total dos recursos para a aquisição de veículos por pessoa física ficou em R$ 175,705 bilhões em maio.

De acordo com o Banco Central (BC), o crédito para compra de automóveis no Brasil apresentou um recuo considerável nos últimos 12 meses.

O estoque de operações de crédito para que os consumidores possam comprar veículos recuou cerca de 1% de abril para maio deste ano. Sendo assim, o valor total dos recursos para a aquisição de veículos por pessoa física ficou em R$ 175,705 bilhões em maio. No mês de abril este número foi de R$ 177,552 bilhões.   

Ao analisar os cinco primeiros meses de 2015, a queda foi considerável relacionada a este tipo de crédito. O recuo foi de 4,6%. Já nos últimos 12 meses até maio, o recuo foi de 6,6%.   

Vale a pena ressaltar que o recuo no crédito para aquisição de carros fez com que o número de veículos novos adquiridos também apresentasse uma queda. De acordo com o Fenabrave, as vendas de veículos novos no Brasil obtiveram cinco quedas mensais seguidas. A aquisição de veículos novo, comerciais leves, caminhões e ônibus caíram em maio 3,04% ante abril. Ao comparar com maio de 2014, a queda nas vendas chega a 27,5%.   

O crédito concedido acumulado em maio para o financiamento de automóveis para pessoas físicas somaram R$ 6,402 bilhões. Isso representa uma queda de 2,1%, comparado a abril. De janeiro a maio, a queda foi de 9,5%.   

Já o setor de habitação teve suas operações de crédito para pessoas físicas expandidas em 1% de abril para maio. Segundo o Banco Central, as operações de crédito somaram R$ 465,122 bilhões. De janeiro a maio, o aumento foi de 7,8% e, nos últimos doze meses até maio, houve um crescimento de 24,5%. Do volume total as operações de créditos habitacionais, R$ 403,455 bilhões se referem a taxas reguladas. Os outros R$ 61,667 bilhões, segundo o BC, referem-se a empréstimos de taxas de mercado. Sendo assim, as operações de taxas reguladas conseguiram avançar 1,2% ante o mês anterior. No ano houve um aumento de 8,2% e, nos últimos 12 meses até maio, 25,4%.

Os financiamentos com taxas de mercado apresentaram um recuo de 0,1% no mês. No acumulado do ano houve uma alta de 4,4% e, nos últimos 12 meses até maio, 18,8%.

Por William Nascimento

Crédito para compra de automóveis


Novo modelo é mais moderno e está até 200 quilos mais leves que a versão atual.

A Opel revelou o novo Astra Geração K com características bem marcantes e revoluções técnicas surpreendentes. O corte clássico revela um modelo mais moderno, que agora está até 200 quilos mais leve que o modelo atual, de acordo com a motorização e equipamentos disponíveis. A média é de 120 quilos a menos em relação à versão anterior.

O modelo está mais moderno em virtude do uso de aço em diferentes densidades e tamanhos, os quais são mais resistentes e leves. Além da nova arquitetura dos pilares, responsável por diminuir o peso e melhorar o desempenho do veículo. Mesmo com a redução de peso, o chassi ganhou mais medidas, resultando em mais eficiência do ponto de vista da condução, da economia de combustível e maior durabilidade dos componentes.

O Astra Geração K será lançado oficialmente no Salão de Frankfurt, na Alemanha em setembro próximo. O modelo que está mais leve e compacto, uma vez que a distância entre-eixos diminuiu 2 cm. Apesar de encolher por fora, o carro cresceu por dentro. São quase 5 centímetros mais curto em relação a versão anterior (4,37 m), é 2,6 cm mais baixo. Entretanto cresceu em 35 mm no espaço para pernas no espaço reservado para os bancos dianteiros.

Há mais uma opção de motor, com potências que oscilam entre 95 cavalos e 2000 cavalos. A base dos motores a gasolina é o 1.0 ECOTEC turbo de 105 cv e três cilindros, que apresenta alguns dos componentes da versão 1.4 ECOTEC turbo de quatro cilindros. Além deles há opções a Diesel com o 1.6 CDTI de 95 cv e 1.6 turbo de 200 cv.

As mudanças também ocorreram na parte interna. O painel recebeu uma redução de botões no console central, poupando aproximadamente 20 quilos. A marca afirmou que os materiais empregados são mais leves e evoluíram, segundo a merca e apresentam um toque mais leve e agradável. Para saber mais sobre o modelo teremos que esperar até setembro. 

Por Ana Rosa Martins Rocha

Opel Astra Geração K

Opel Astra Geração K

Fotos: Divulgação


Honda City parte dos R$ 53.900, alcançando a marca dos R$ 70.900.

A instabilidade na economia brasileira fez o preço de diversos itens subirem. E a Honda seguiu essa tendência e elevou os valores de seus modelos no país. O destaque na alta ficou por conta do Honda City, que chegou na incrível marca de R$ 70 mil, alcançando outro modelo da marca, o Honda Civic.

Esse não é o valor inicial do City, e sim o que alcançou sua versão top de linha. Os valores foram reajustados da seguinte maneira: a versão básica, DX manual, tem valor de R$ 53.900,00; a intermediária, EX CVT, tem preço de R$ 67.700,00; e a versão mais cara e mais completa, a EXL CVT, está na casa de R$ 70.900,00. Esses valores já estão no site oficial da marca.

Obviamente, de uma maneira geral, os veículos da Honda são bem vistos tanto no mercado internacional quanto no nacional, porém com a crise econômica no país, essa alta nos valores do City não é vista com bons olhos.

A segunda geração do City foi lançada no Brasil em setembro do ano passado, e é baseada na mesma plataforma do Honda Fit, um dos modelos mais populares da montadora oriental. Sua produção é na planta da Honda em Sumaré, em São Paulo.

O City é o mais vendido entre os compactos premium no Brasil, e em abril deste ano foram vendidas 2.553 unidades. No total de 2015, até o momento, já foram emplacadas mais de 11 mil unidades, de acordo com dados da Fenabrave. Os principais concorrentes do City são o Ford New Fiesta Sedã e o Chevrolet Cobalt, que também têm bom número de vendas no país.

Só resta saber se com essa crise financeira a média continuará boa, dentro do esperado, ou irá cair, como está acontecendo com diversos outros modelos de várias montadoras pelo Brasil. Tanto, que boa parte delas está em férias coletivas forçadas para conseguirem vencer a crise e não terem que aumentar os valores de seus veículos.

Por Felipe Villares

Honda City 2015

Honda City 2015

Fotos: Divulgação


Novo modelo reestilizado será lançado no Salão de Buenos Aires e virá para o Brasil logo em seguida.

O Ford Focus apareceu mais caro no configurador da página da montadora Ford, esse aumento do veículo ocorreu um pouco antes da chegada o novo modelo reestilizado do veículo.

O novo Focus reestilizado tem previsão para ser lançado oficialmente somente no Salão de Buenos Aires, evento que ocorrerá no mês de junho e deverá chegar ao Brasil logo em seguida.

Contudo, enquanto isso não acontece, o Focus tem preços a partir de R$ 69,9 mil na sua versão mais básica que é a S 1.6, sendo que pode chegar a custar até R$ 98,9 mil na versão considerada topo de linha, que é Titanium Plus 2.0.

Após ter sido lançada aqui no Brasil no mês de outubro do ano de 2013, a terceira geração do Focus tinha os seus preços entre R$ 60.990 e R$ 89.990. Apesar de o segmento dos sedans médios estar sofrendo uma forte queda nas vendas, o Ford Focus ainda assim conseguiu ser o líder de vendas com apenas 1.188 unidades comercializadas no país ficando à frente dos seus principais concorrentes que são o Volkswagen Golf e o Chevrolet Cruze.

A versão de mais básica do Focus, a S 1.6, já vem de fábrica, além dos itens obrigatórios, com os seguintes incrementos: airbag duplo e freios ABS, vidros elétricos somente parte dianteira, ar condicionado analógico, banco do motorista com regulagem de altura, retrovisores elétricos, alarme, Isofix, volante com ajuste de profundidade e altura, dentre outros itens.

Conforme a versão escolhida pelo cliente no ato da compra o veículo pode sair da concessionária acrescido com os seguintes itens: seis airbags, retrovisores externos com rebatimento e aquecimento elétrico, Park Assist, controle de tração e estabilidade, faróis de Xenon, sensores de estacionamento na parte dianteira e traseira, bancos em couro, ar digital de duas zonas, sensor de chuva, câmera de ré, sistema de navegação e Sybs Media System com o sistema MyFord Touch.

Veja abaixo a tabela de preço com os preços das diversas versões do Ford Focus.

– Ford Focus S 1.6: R$ 69.900;

– Ford Focus SE 1.6: R$ 74.900;

– Ford Focus SE 1.6 Power Shift: R$ 78.900;

– Ford Focus SE 2.0 Power Shift: R$ 79.900;

– Ford Focus Titanium 2.0 Power Shift: R$ 87.900;

– Ford Focus Titanium Plus 2.0 Power Shift Plus: R$ 95.900;

– Ford Focus Sedan S: R$ 77.900;

– Ford Focus Sedan SE: R$ 82.900;

– Ford Focus Sedan Titanium: R$ 90.900;

– Ford Focus Sedan Titanium Plus: R$ 98.900.

Por Adriano Oliveira

Ford Focus reestilizado

Ford Focus reestilizado sedan

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: