Novo veículo elétrico do Brasil será comercializado por R$ 129 mil.

A montadora chinesa de automóveis JAC Motors acabou não comparecendo ao Salão do Automóvel que ocorreu na cidade de São Paulo em novembro de 2018, mas ainda assim conseguiu aproveitou a onda de veículos elétrico que estiveram espalhados pelo evento. Após as montadoras Renault, Chevrolet e Nissan, a fabricante chinesa anunciou também, para o mercado do Brasil, a comercialização de um modelo movido totalmente por meio de eletricidade. Trata-se do novo E40, que irá desembarcar nas concessionárias do país custando R$ 129.990.

De acordo com a empresa, o lançamento tem previsão para acontecer no mês de junho deste ano e assim, até o momento, acaba por ocupar o posto de veículo elétrico mais em conta no mercado brasileiro de automóveis.

O novo JAC E40 será vendido com um propulsor motor com capacidade de gerar uma potência de 115 cavalos e um torque de 27,5 kgfm, os quais são entregues instantaneamente. Assim como informado pela própria marca, o veículo possui uma autonomia que pode chegar aos 300 km e consegue atingir uma velocidade máxima de 130 quilômetros por hora ao ter o modo Sport ativado, onde a autonomia é reduzida também.

Para que as suas baterias sejam recarregadas completamente o veículo precisa de 7 horas ao estar conectado em tomadas residenciais fazendo uso de corrente alternada e apenas 1 hora e meia ao fazer uso de corrente direta.

Uma sensação de déjà vu

O novo E40 pode causar aos conhecedores de automóveis aquela conhecida sensação de já ter visto aquilo anteriormente, entretanto não é uma questão casual, já que este modelo é praticamente uma versão movida a eletricidade do veículo já conhecido JAC T40, o qual está presenta no mercado brasileiro desde o mês de agosto de 2017.

Entretanto, suas novidades ficam por conta das mudanças visuais como, por exemplo, a cor azul (a qual é convencionada para elétricos) em suas barras laterais, aerofólio, retrovisores, projetores dos faróis, contorno de seus faróis de neblina e também na grade.

Na sua parte frontal, a região central passou a ser fechada pelo fato de não necessitar ter a famosa grade para que seja feita a sua refrigeração. Ao tratar de novidades, suas rodas são novas também, porém suas pinças de freio ainda continuam pintadas na cor vermelha, assim como visto nas versões com valores maiores mais do JAC T40.

Na lista de equipamentos de série, o novo E40 conta com painel digital, assistente para realizar partida em rampas, além de controles de tração e de estabilidade.

Sua concorrência já está formada

Até o momento nenhum dos veículos elétricos anunciados recentemente estão disponíveis nas concessionárias do Brasil, mas a concorrência desse segmento já está bem definida, por incrível que pareça.

Ao decorrer dos dias que aconteceram o Salão do Automóvel em São Paulo, a montadora Chevrolet foi a pioneira ao realizar o anúncio da chegada do modelo Bolt em 2019 pelo valor sugerido de 175 mil reais. Logo em seguida, a montadora asiática Nissan acabou por abrir a pré-venda, por meio da internet, do modelo Leaf, o qual também desembarca nesse ano de 2019 pelo valor de R$ 178.400.

Por fim, a francesa Renault anunciou o Zoe. O qual já se encontra em pré-venda também no país e a fabricante está pedindo R$ 149.990. No mês de fevereiro já iniciarão as entregas do elétrico.

Ainda para este ano de 2019 pode-se esperar pelos lançamentos Kia Soul EV e Audi e-tron, além do Hyundai Ioniq, o qual está também prometido para o mercado brasileiro, porém não possui uma data oficial para ser lançado.

Por Filipe Silva

JAC E40 2019

JAC E40 2019


Montadora pretende se colocar no topo da lista dos transportes ecológicos.

Volkswagen informou nesta quinta-feira, dia 16, que irá lançar nos próximos 10 anos mais de 30 modelos de veículos completamente elétricos, como uma tentativa de colocar a montadora no topo da lista dos transportes ecológicos, após ter se envolvido em um escândalo de automóveis onde havia um software que manipulava as emissões de gases de carros movidos a diesel.

A empresa alemã, que conta com diversas marcas em seu grupo, como Audi, Porsche, Lamborghini, Bugatti, Bentley, MAN e Scania, comunicou que tem a intenção de comercializar de 2 a 3 milhões de unidades com o motor alternativo até o ano de 2025.

Segundo a montadora, os veículos elétricos irão representar entre 20 e 25 por cento das vendas globais do VW.

Dentre estes automóveis está o Porsche Mission E, o primeiro veículo que a marca lançará sendo 100% elétrico, o qual será lançado até o ano de 2020 e contará com um investimento de 1 bilhão de euros.

O grupo alemão também vem buscando novas alternativas de transporte, como robotáxis, sob demanda e compartilhamento. No final do mês de maio a empresa multinacional realizou um investimento em uma empresa chamada Gett e espera que o mercado em questão renda uma receita bilionária dentro de 10 anos.

A VW reconheceu que instalou de forma ilegal em cerca de 11 milhões de veículos movidos a diesel um sistema que fazia com que as emissões de poluentes estivessem ajustadas ao máximo permitido, porém, na realidade os propulsores ultrapassavam esse limite.

Devido ao escândalo, a multinacional já reservou 16,2 bilhões de euros para não sofrer com as consequências. Deste valor, serão destinados aos custos judiciais cerca de 7 bilhões.

Nesta semana, a justiça dos Estados Unidos voltou a prorrogar o prazo dado a empresa para informar as propostas de indenização aos consumidores americanos que adquiriram seus veículos com motores a diesel, o prazo agora foi prorrogado para o dia 28 de junho.

O tribunal responsável pelo processo é o de San Francisco e anunciou que aumentou o prazo, o qual findava no dia 21 de junho, pois levou em consideração a índole técnica da proposta diante da complexidade dos processos.

FILIPE R SILVA


Objetivo do desconto é estimular a utilização de veículos que não causam danos ao meio ambiente.

Na última sexta-feira, 21 de agosto, o prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad, assinou um decreto de regulamento que tem por objetivo oferecer nada menos que um desconto de 50% em relação ao Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores para os que possuem veículos híbridos e elétricos. O grande objetivo desta medida é estimular a utilização de veículos que não causam danos ao meio ambiente.

Para aqueles que não sabem, o IPVA é um imposto estadual e de caráter obrigatório que é pago anualmente pelos contribuintes que possuem algum veículo automotor registrado em seu nome. Com isso, as prefeituras possuem direito a 50% do valor do imposto, sendo que o restante é destinado a União. Visando estimular a utilização de veículos híbridos e elétricos, a Prefeitura de São Paulo irá devolver a sua metade para os contribuintes.

É importante destacar que a devolução não será realizada de forma automática, haja vista ser necessário fazer um requerimento, por parte do contribuinte, juntamente a prefeitura. Levando em consideração as regras do IPVA 2015 em São Paulo, a atual alíquota que incide sobre carros elétricos é de 3% em relação ao valor venal.

É importante destacar que, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico, o número de veículos elétricos rodando no país ainda é pequeno. Portanto, a frota chega a 3 mil veículos elétricos, sendo que a frota total do país (contando todas as categorias de veículos) chega a 89 milhões de veículos. Uma das principais vantagens de um carro elétrico é o fato de não emitirem gases poluentes e ainda apresentar um gasto pequeno com energia, que é o seu combustível.

O requerimento para obter o desconto no IPVA 2015 em relação a carros elétricos será feito por meio eletrônico. O mesmo deverá ser disponibilizado através da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, que é anualmente no mês de maio. Sendo assim, o sistema irá funcionar de forma semelhante ao da Nota Fiscal Paulistana. Dessa forma, o pagamento será feito através de crédito em conta corrente do titular responsável pelo automóvel.

Por Bruno Henrique

Carro elétrico

Foto: Divulgação


Desde que a GM começou a desenvolver o Chevrolet Volt, várias imagens do carro elétrico surgiram na internet. Quem acompanha o seu desenvolvimento já está mais que acostumado com seu design e suas características, que incluem além do motor elétrico, um motor convencional 1.3. O lançamento deve acontecer só em 2011.

No entanto, a GM anunciou que pretende ampliar a linha do Volt assim que ele for lançado, e divulgou fotos de uma versão mais nova do carro elétrico. Isso se deve muito à conclusão, e um pouco de incentivo do governo americano, de que os grande carros, principalmente as SUVs, ávidos por litros e mais litros de gasolina já não se encaixam na estratégia das grandes montadoras. Claro que ainda há muitas barreiras, mas elas devem cair aos poucos.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Carro Online


Com os problemas de aquecimento global, todos buscam soluções para o problema da poluição. A Peugeot, querendo resolver o problema dos seus carros com a natureza, divulgou seu novo modelo, o Peugeot iOn 2011, totalmente elétrico.

O mini-carro terá aluguel mensal, que gira em torno dos 500 euros. Um custo de rodagem de menos de 1,50 euro por 100 quilometro rodados. Em reais, seria R$ 3,66, pouco mais de três centavos por quilomentro. No Brasil, o custo é de 20 a 25 centavos por quilômetro, nas cidades.

Tem quatro portas, com espaço para quatro pessoas, medindo 3,48 metros, e funciona com um motor de 64 cv, velocidade máxima de 130km/h. Na tomada de 220 volts, em seis horas já está carregado, oferecendo uma carga rápida de 30 min, completando 80% da bateria.

Foto: Divulgação




CONTINUE NAVEGANDO: