Exigência por extintor veicular ABC é adiada novamente

  

O Contran estendeu por mais 90 dias a nova fiscalização

E a novela dos novos extintores de incêndio do tipo ABC que se estende desde o ano de 2005, ganhou mais um capítulo nesta semana. Na última quarta-feira (25), o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) estendeu por mais 90 dias a obrigatoriedade do porte dos novos extintores nos veículos automotores do país.

A nova alteração foi feita devido a um pedido do ministro Gilberto Kassab, do Ministério das Cidades, no início do mês de março ao Contran, onde o ministro se mostrava preocupado com a falta do novo componente de segurança para a venda no mercado.

Para o ministro das Cidades e o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), esta medida visa principalmente evitar que os motoristas sejam penalizados diante das dificuldades encontradas para aquisição deste dispositivo de segurança.

Os consumidores em geral reclamam desde o fim de dezembro do ano passado, tanto da falta do equipamento para a troca, quanto pelos valores cobrados nas lojas, pois enquanto os extintores do tipo BC custavam em média R$ 45,00, os novos extintores são encontrados em média custando até R$ 120,00.

A fiscalização e as multas começariam a ser aplicadas a partir de 1º de janeiro deste ano, mas, com as dificuldades relatadas pelos motoristas, este prazo foi adiado pela primeira vez para o dia 1º de abril. Agora, com esta nova alteração, as fiscalizações começarão no dia 1º de julho de 2015.


O condutor que for parado em alguma blitz a partir do dia em que a Resolução do Contran entrar em vigor e não estiver portando no veículo o novo extintor obrigatório do tipo ABC, será multado em R$ 127,69 e ainda perderá cinco pontos em sua CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

O novo extintor do tipo ABC, além da ter uma durabilidade maior em relação ao seu antecessor (5 anos), ele é mais eficiente no combate a princípios de incêndios em materiais sólidos encontrados no interior da maioria dos veículos, como plásticos, borrachas, tecidos, espuma e madeiras. Já o extintor do tipo BC, era indicado apenas para combater o início de incêndios em partes elétricas e também em líquidos inflamáveis.

Por André F.C.

Foto:Marcelo Camargo / Agência Brasil

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *