Você sabia que 30% do preço do carro são impostos no Brasil?

  

O Brasil continua com lema de ser país dos impostos. Essa crença existe inclusive no mercado automobilístico. De acordo os representantes que participaram da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos), do Senado Federal, em terras nacionais os impostos abocanham trinta por cento dos valores finais na compra do automóvel. Quem afirmou o fato no encontro foi João Vicente, secretário-geral da Confederação Nacional dos Metalúrgicos.

Se colocar as contas no papel sobre o preço para comprar automotivo no Brasil, em termos de carga tributária, o valor representa o dobro, ao comparar com negócios que acontecem nos países europeus, tais como Espanha, Reino Unido, Alemanha e França.

Esses são locais nos quais impostos abocanham dezessete por cento do valor final pago no carro. Ao comparar com os japoneses, as taxas correspondem em nove por cento da quantia que vale o veículo, ao ponto que nos Estados Unidos é igual a seis por cento.

Vicente ainda aponta que, no Brasil, trinta por cento dos carros são tributos, o segundo maior valor no geral. O gasto principal está na compra dos componentes materiais (cinquenta por cento no valor do carro). Na terceira opção se encontram as peças de reposição (doze por cento).

Luiz Moan, presidente do ANFAVEA (Associação dos Fabricantes de Veículos Automotores), indica que os números de Vicente podem ser subestimados, em principal ao contar os impostos diretos que na soma ultrapassam valor além do que cinquenta por cento no custo geral para comprar carro.


Margem de lucro das montadoras, preços dos salários de trabalhadores e da matéria-prima se equivalem à outra metade do custo. Nesse sentido, quem trabalhou no automotivo recebe menos do que o poder público abocanha com os impostos.

Grande parte dos representantes não políticos que participou do encontro no Senado culpou os impostos exacerbados como a causa principal do preço alto dos carros no Brasil.

Por Renato Duarte Plantier

Foto: divulgação

Compartilhar:

2 comentários em “Você sabia que 30% do preço do carro são impostos no Brasil?

  • O que os maus gestores não enxergam é que essa política favorece o envelhecimento da frota e com isso aumento da demanda de combustíveis, que exige cada vez mais investimentos do estado. Porque não uma política de para cada carro vendido um usado seja compulsoriamente retirado de circulação?

  • É mesmo, Anfavea? Estranho como eles sempre se esquivam, mas não é o que diz a pagina 54 do seu anuario de 2014.
    Dados de 2013:
    carros 1.0 = 27,1%
    Acima de 1.0 até 2.0 = 29,2% (para carros flex)
    Acima de 2.0 = 33,1% (para flex tb)
    Considerando que é esmagadora as vendas de carros até 2.0, e que os dados vem deles mesmos, aonde eles tiram essas contas?
    O governo hoje tem absolutamente todos os dados pra fazer a conta reversa, acho que tinham que abrir uma CPI, e fazer auditorias fiscais, já que eles culpam os impostos, e o governo parece olhar e dizer mas aonde que arrecadamos tanto?

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *