Novo Uno com Projeto Antigo (Fiat Panda)?

  

Como não poderia deixar de ser, o novo Uno não é um projeto novo. Primeiro porque levou cerca de três anos para ser desenvolvido. Segundo porque é novidade no Brasil, mas é usado desde meados de 2006 na Europa sob o nome de Fiat Panda. E isso levanta algumas questões.

Por exemplo, o fato de que o novo Uno não aposenta o antigo e suas infinitas versões. Por quê? É realmente incompreensível que, às portas da mudança da legislação nacional para que todo carro saia de fábrica com air-bags (aleluia!), um projeto tão defasado quanto o Mille e derivações – que não previam essa tecnologia à época de seu desenvolvimento – seja imposto aos consumidores brasileiros.


Justamente quando essa imagem de desleixo da Fiat brasileira poderia ser mudada, novamente nos deparamos com o método “empurra-com-a-barriga” adotado pelas montadoras nacionais. É preciso que se compreenda que o lucro a ser obtido por um novo carro deve ser baseado em competência e qualidade na construção e execução dos projetos – como fez a Hyundai com seu sensacional hatch i30, saindo do desconhecimento para se tornar o 20º carro mais vendido no quinto maior mercado automotivo mundial – e não na manutenção de paradigmas antiquados e desrespeitosos com o consumidor brasileiro. 

Por Leopoldo Henrique Fachini

Compartilhar:

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *